fbpx
Experiências

Voltei aos Fiordes da Noruega desta vez num Cruzeiro de Grupo… e continuam incríveis!

Hellesylt
Já saiu a minha reportagem do cruzeiro aos Fiordes da Noruega a bordo do novo MSC Euribia. Se vai aos fiordes, ou tenciona ir em breve, este artigo é para si. O que fazer nos portos de escala e o que esperar do navio, tudo acompanhado de muitas fotos e vídeos dos destinos!

Voltei aos Fiordes, sim!

E continuam incríveis, com as suas paisagens de cortar a respiração, a sua natureza exuberante e as suas poderosas cascatas!

Mas não foram dias fáceis!

O nosso Cruzeiro de Grupo aos Fiordes da Noruega aconteceu exatamente no primeiro itinerário do novo MSC Euribia, dois dias após a sua inauguração e onde estive a convite da MSC Cruzeiros!

Esta maratona começou uns dias antes, a 6 de junho, quando embarquei no MSC Euribia, em Amesterdão, enquanto se dirigia para Copenhaga, onde seria inaugurado a 8 de junho numa incrível cerimónia que pode ver aqui.

A inauguração foi a 8 de junho

Regressei ao Porto a 9 de junho, para logo no dia seguinte voar de novo para Copenhaga mas desta vez acompanhado por cerca de 25 passageiros que iriam fazer os Fiordes da Noruega no novo navio da MSC Cruzeiros.

Juntamente com mais passageiros de Lisboa formamos uma bela equipa de meia centena de cruzeiristas prontos para explorar a incrível beleza da Noruega, mas também relaxar e experimentar tudo o que um novo navio como o MSC Euribia tem para oferecer. E é muito!

MSC Euribia em Amesterdão antes de partir para Copenhaga

Mas antes do começar o itinerário, tivemos a oportunidade de explorar a capital da Dinamarca, Copenhaga, uma cidade cara mas encantadora e com muitas atrações para visitar.

Ficamos uma noite pré cruzeiro confortavelmente instalados no Hotel NH Collection, em pleno bairro de Christianshavn, bem perto do centro da cidade, o que nos permitiu sair a pé por Copenhaga durante mais de 24 horas.

Conseguimos explorar a cidade através do canal com o mesmo nome do bairro e fizemos visitas ao Palácio de Christianborg, atual sede do parlamento dinamarquês, mas que é também escritório do primeiro ministro e ainda acolhe o Supremo Tribunal da Dinamarca.

Hotel NH Collection em Copenhaga

De seguida paramos na Praça Nova do Rei, a maior e mais visitada da cidade, para seguirmos para o Canal do Porto Novo, com as suas típicas casas coloridas nas suas margens.

Visitamos ainda o Palácio de Amalienborg, a residência oficial de inverno da família real dinamarquesa, um complexo que inclui mais três palácios em redor da praça, cujo centro exibe uma estátua do Rei Frederico V, o principal obreiro de Amalienborg.

Um dos canais de Copenhaga

A caminho da famosa Pequena Sereia (é mesma pequena) em frente ao porto da cidade, acabamos por visitar a Fonte de Gefion, uma das maiores fontes da cidade, situada no Parque Langelinie, junto à Fortaleza de Kastellet. Acabamos o dia com um cruzeiro (claro) pelos canais da cidade, o que nos permitiu ter uma perspetiva única sobre os seus monumentos e arquitetura nórdica.

Copenhaga é uma cidade fabulosa, cosmopolita mas dispendiosa. Vale bem a pena um fim de semana alargado para conhecer todas as atrações da capital da Dinamarca.

Praça Nova do Rei

Chegou a hora de embarcar e ao fim da manhã dirigimo-nos para o porto de Copenhaga, a uns bons 20 minutos de distância do centro da cidade. O check-in no navio foi rápido e eficiente o que nos permitiu conhecer melhor o MSC Euribia logo no primeiro dia.

Hellesylt/Geiranger

Hellesylt vista do MSC Euribia

Após um dia de navegação chegamos a Hellesylt, o primeiro porto deste itinerário, situado nas margens do Fiorde de Geiranger e, portanto, um dos pontos altos desta nossa viagem. E como é linda esta aldeia!

A entrada pelo fiorde, logo de manhã, é magnífica e vale esforço de acordar bem cedo para desfrutar das maravilhosas paisagens das montanhas e pequenas cascatas, enquanto o navio serpenteia pelo fiorde até ao seu cais. Está fresco mas nem por isso desagradável.

Vista de Hellesylt

Apesar de não ser tão famosa como a sua vizinha Geiranger, Hellesylt é, igualmente, uma pequena localidade, muita bonita e com algumas atrações que se podem visitar a pé.

Uma das principais salta logo à vista quando o navio atraca, a grande e poderosa cascata de Hellesyltfossen, divide literalmente a aldeia ao meio. É uma das melhores caminhadas que se pode fazer em Hellesylt percorrendo e subindo pelas suas margens até ao topo e descendo pelo outro lado, passando por outra atração, a igreja evangélica luterana de Sunnylven. Datada de 1859 foi totalmente construída em madeira branca e tem ótimas vistas para o porto e para o fiorde. Está aberta a visitas e a entrada é grátis.

Hellesylt

Em Hellesylt é possível apanhar um ferry para a vizinha Geiranger. A viagem demora cerca de uma hora e convém reservar com antecedência. No próprio dia é possível reservar mas é mais difícil. O bilhete de ferry custa cerca de 40€ ida e volta.

Cascata das Sete Irmãs

Antes de deixarmos Hellesylt, o navio fez um pequeno desvio. Em vez de descer o fiorde até ao Mar do Norte, o comandante virou o navio em direção a Geiranger, para que todos pudéssemos apreciar a beleza da Cascata das Sete Irmãs, a meio caminho entre o porto de Hellesylt e Geiranger.

Património Mundial da UNESCO, esta cascata é constituída por sete pequenos cursos de água que caem de uma altura de mais de 250 metros, e é nesta altura (Maio a Junho) que atingem o seu pico de volume enquanto se dá o degelo nos picos mais altos.

Igreja de Hellesylt

Principais atrações em Hellesylt\Geiranger

  • Glaciar de Briksdal
  • Monte Dalsnibba
  • Cascata das Sete Irmãs
  • Cascata de Hellesylt
  • Trollstigen Road
  • Mini-cruzeiro no Fiorde de Geiranger
  • Teleférico de Strandafjellet em Stranda
  • Vila de Stryn
  • Vale de Norang

Alesund

Alesund vista do Monte Aksla

Chegamos a Alesund, uma cidade já de um tamanho considerável, pelo menos face aos padrões noruegueses, e conhecida por ser a porta de entrada para o Fiorde de Geiranger, um dos mais procurados pelos turistas.

Alesund é uma cidade portuária, conhecida por sua arquitetura Art Nouveau e por estar localizada num arquipélago de várias ilhas. Os navios atracam mesmo no centro da cidade o que nos permite explorar as suas atrações a pé, sendo uma delas o famoso Monte Aksla. É a partir do seu miradouro que se tiram as fotos que se encontram em todas os postais da cidade de Alesund.

Para subir a este monte e contemplar a beleza da panorâmica do Monte Aksla, onde se pode apreciar a cidade de Alesund e as zonas costeiras, é necessário subir a estreita escadaria de mais de 400 degraus até ao topo. Custa mas vale bem o esforço! Existem transportes até ao Monte Aksla, inclusive em comboio panorâmico, diretamente do terminal de cruzeiros. Este bilhete custa cerca de 20€.

Alesund foi reconstruída em estilo Art Nouveau após um incêndio em 1904 que destruiu grande parte da cidade. Alguns dos edifícios históricos que se pode ver em Alesund são o Hotel Brosundet e o Hotel Union Oye.

Igreja de Alesund

Outra das atrações que merecem uma visita é a Igreja de Alesund, uma igreja cristã luterana construída totalmente em pedra. Construída em estilo Art Nouveau após o incêndio que destruiu grande parte da cidade em 1904, é famosa pela sua bela fachada e torre distintiva. O interior também é impressionante, com belos vitrais e decorações, mas a entrada tem custo de cerca de 7€.

Principais atrações em Alesund

  • Edifícios em Estio Art Nouveau
  • Igreja de Alesund
  • Miradouro do Monte Aksla
  • Mini-Cruzeiro pelo Fiorde de Hjørundfjord

Flam

Flam

Mais uma pérola dos Fiordes da Noruega e mais uma pequena aldeia com mais fama do que certas cidades. Flam tem pouco mais de 200 habitantes mas tem um dos mais belos passeios de comboio do mundo.

O trajeto de Flam até à estação de Myrdal, que posteriormente liga à linha de Oslo\Bergen, é um dos mais espetaculares onde se pode apreciar cascatas poderosas, vales verdejantes e montanhas cobertas de neve. Durante o trajeto o comboio faz uma paragem especial em Kjosfossen, onde os passageiros têm a oportunidade de desembarcar e admirar a poderosa cascata de perto.

O passeio de comboio de Flam é uma experiência inesquecível que oferece a oportunidade de apreciar a beleza natural da Noruega em toda a sua glória. Mas não se esqueça de reservar antecipadamente, quer online, em operadores independentes (Rail Ninja ou Norway’s Best) ou mesmo em excursão da MSC Cruzeiros, sendo estas bastante mais caras.

Embora possa reservar o seu bilhete na estação é altamente desaconselhável já que a procura é muito grande, principalmente com um grande navio atracado na aldeia.

Na estação é possível visitar o Museu Flamsbana para quem estiver interessado na história da ferrovia de Flam. O museu é de entrada livre e tem exposições interativas que contam a história da linha ferroviária e a sua importância para a região.

Comboio Turístico

Da parte da manhã ainda foi possível fazer um trilho a pé pelas colinas em redor da aldeia e tirar fotos, quer do navio quer do fiorde. Um dos pontos positivos de atracar mesmo no centro da aldeia é que podemos e entrar e sair do navio quantas vezes quisermos. Neste caso fomos almoçar e voltamos logo de seguida para explorar as redondezas de Flam.

Para isso alugamos um pequeno carro elétrico de dois lugares, durante duas horas o que nos custou 1500 NOK (cerca de 130€) e com uma autonomia de apenas 50 quilómetros. Até por aqui se vê como é cara a Noruega.

Flam

Seguimos em direção ao Miradouro de Stegastein, localizado a cerca de 650 metros acima do fiorde e a aproximadamente 30 minutos de carro do centro de Flam. Um pouco desapontante a vista do miradouro, nem sequer se vê a aldeia, mas sim parte do Fiorde de Sognefjord, o fiorde mais longo da Noruega, e um dos mais profundos chegando aos 1300 metros.

Leia também  O meu Cruzeiro nos Emirados a bordo do MSC Virtuosa (o que ver e o que visitar neste fantástico itinerário)

Voltamos a descer o fiorde no nosso elétrico, já com a bateria a dar sinais de impaciência, mas fomos ainda a tempo de ver a pequena Igreja de Flam construída em madeira no século 13 e várias vezes reconstruída ao longo dos tempos. A igreja, situada a cerca de 3 quilómetros da aldeia, é rodeada pelo seu cemitério colocado sob um tapete de relva muito bem cuidado.

Principais atrações em Flam

  • Comboio Turístico de Flam até Myrdal
  • Mini-Cruzeiro no Fiorde de Nærøyfjord
  • Excursão a Stalheim
  • Estrada de Neve de Lærdal
  • Miradouro de Stegastein
  • Cascata de Brekkefossen

Kiel

Kiel

O único porto de escala deste itinerário fora da Noruega, a cidade de Kiel não nos tinha previamente entusiasmado, no entanto, o facto de ocorrer naqueles dias um grande festival internacional ligado ao mar, trouxe uma atmosfera festiva com muitas diversões, comes e bebes por todo o lado, exibições náuticas e até uma regata.

O navio atracou no cais mais longe da cidade, já que havia navios de outras companhias nos cais próximos do centro de Kiel. Por esse facto, tivemos que aproveitar o transfer da MSC para a cidade, numa viagem de cerca de 30 minutos que nos custou 15€.

Já no centro de Kiel, seguimos a pé por uma avenida pedonal até à Igreja de São Nicolau uma estrutura em tijolo do século 13, que infelizmente, estava encerrada para obras, presumivelmente até ao final de 2023. Passamos pelo Parque Hiroshima antes de seguirmos para a antiga Câmara Municipal de Kiel, para apreciar a arquitetura deste histórico edifício.

Por fim, acabamos a manhã a beber uma bela cerveja, numa das muitas barracas existentes na praça em frente à Estação de Comboios de Kiel, antes de regressarmos ao MSC Euribia.

Principais atrações em Kiel

  • Cidade Medieval de Lubeck
  • Zona portuária de Kiel
  • Excursão a Hamburgo

O navio MSC Euribia

MSC Euribia em Hellesylt

Muitos de vocês já conhecem um navio da classe Meraviglia e o MSC Euribia não é muito diferente. A magnífica promenade interior continua a ser o coração do navio e onde se fazem as tradicionais festas, inclusive o desfile dos oficiais.

De um lado temos o teatro do MSC Euribia e do outro o atrium da receção, com música ao vivo, e pelo meio estão vários clássicos como as tradicionais lojas, a fabulosa chocolateira de Jean-Philippe Maury, e alguns dos restaurantes temáticos como o Kaito Teppanyaki & Sushi Bar ou o HOLA! Tacos & Cantina. De realçar a ausência no MSC Euribia do meu preferido, o Butcher’s Cut.

Piscina Principal do MSC Euribia

Cá fora no deck das piscinas não falta a exuberante piscina principal com muito espaço disponível, a piscina da popa, uma área sempre muito concorrida, mas também o Sportsplex e as suas áreas lúdicas adjacentes como bowling, discoteca, Simulador de F1, Cinema 4D e um conjunto de serviços para os mais pequenos.

Foi no Restaurante Principal que fizemos todas as nossas refeições com o nosso grupo todo bem agrupado em meia dúzia de mesas, todas perto umas das outras.

Apesar de nos primeiros dias o serviço ter ficado muito aquém das expectativas, nos dias seguintes vimos claramente uma melhoria, quer na rapidez, quer na atenção aos nossos passageiros. O nível da gastronomia apresentado esteve dentro das expectativas sem ser extraordinário para este nível de serviço. Recordo que este cruzeiro de grupo foi precisamente no primeiro itinerário do navio, pelo que havia ainda muita falta de coordenação, principalmente no restaurante.

Outro dos espaços que gostamos muito, foi o Carousel Lounge, onde pudemos assistir a bons espetáculos interpretados por vários artistas e sempre acompanhados por uma bela orquestra. Outrora um espaço destinado a acolher o famoso Cirque du Soleil, que tive a oportunidade de admirar a bordo do MSC Meraviglia, é agora um anfiteatro com um palco redondo e ladeado por inúmeras mesas, onde se pode assistir de perto às atuações dos artistas.

Carousel Lounge

Tempo na Noruega em Junho

Muitos perguntam-me como é o tempo na Noruega! É uma dúvida comum e muito difícil de responder, já que a previsão do tempo não é uma ciência, ainda por cima quando falamos da costa oeste da Noruega. Não é incomum termos as quatro estações num único dia quando se visita os Fiordes.

Ponto importante neste aspeto é que a costa oeste tem um clima muito mais ameno do que o leste da Noruega, onde se situa a capital Oslo. Isto tem a ver com a Corrente do Golfo, uma corrente de água mais quente e salgada, que nasce no Golfo do México e sobe a costa pelo Atlântico em direção ao Pólo Norte. É devido a este fenómeno que as temperaturas no oeste da Noruega são mais amenas e nunca descem substancialmente abaixo de zero graus, mesmo nos rigorosos Invernos.

Tomando como referência Alesund, perto dos fiordes mais procurados, a temperatura máxima média ronda os 17º graus nos meses de verão e a mínima anda nos 11º. São médias históricas, mas com o aquecimento global a tendência é claramente superior.

De notar também, que a estas latitudes mais altas, e falo essencialmente no Centro da Noruega, o pôr do sol dá-se extremamente tarde, não sendo de estranhar que à meia-noite ainda haja muita luz natural.

A caminho de Hellesylt: 0h36

Consultando o programa diário de bordo, facultado pela companhia no dia anterior, estas foram as temperaturas para os nossos portos de escala (em Junho):

23h46
  • Copenhaga: 11º/22º, sol. Nascer do Sol: 04h25, Pôr do sol: 22h02
  • Hellesylt: 6º/16º, ligeiramente nublado. Nascer do Sol: 3h41, Pôr do sol: 23h30
  • Alesund: 9º/17º, ligeiramente nublado. Nascer do Sol: 3h39, Pôr do sol: 23h34
  • Flam: 16º/25º, ligeiramente nublado. Nascer do Sol: 3h57, Pôr do sol: 23h17
  • Kiel: 13º/25º, ligeiramente nublado. Nascer do Sol: 4h25, Pôr do sol: 22h08

O que mais gostei deste cruzeiro

  • O itinerário. Continua a ser um dos meus preferidos, a natureza exuberante com penhascos íngremes, montanhas imponentes e águas cristalinas, são os principais cartões de visita deste país;
  • A herança cultural. Além da beleza natural, os fiordes também têm uma rica herança cultural. Há várias vilas típicas ao longo dos fiordes, onde se pode explorar a cultura local, aprender sobre a história viking e experimentar a gastronomia norueguesa;
  • O navio. Continua incrível a classe Meraviglia com esta última adição, o MSC Euribia, ainda mais amigo do ambiente. É incrível ver as saídas dos portos da Noruega e nem um vislumbre de fumo a sair das chaminés do navio. Isto é o futuro, só que agora!
  • Espetáculos no Teatro. Não sou particularmente exigente ao nível dos espetáculos, mas gostei muito daqueles que pude ver. Foram, de facto, entretenimento e com variedade. Tivemos uma exibição de magia muito interessante, uma atuação circense (que não consegui ver, mas tive feedback muito positivo), uma performance interativa com fantásticas fantasias iluminadas, cenários e visuais interativos, e os tradicionais musicais. Havia espetáculos para todos os gostos.
  • Carousel Lounge. Pronto, acabo de eleger o meu sítio favorito do MSC Euribia (a par do Sky Lounge). Um espaço agradável, com um layout totalmente novo e com música ao vivo, acompanhado por uma orquestra, e um belo ambiente com mesas ao redor do palco. Tem também um bar de apoio e uma mesa de bilhar, para os amantes da modalidade.
  • Check-in. Excelente em Copenhaga, rápido e sem complicações, entramos no navio em 15 minutos. Muito bem!

O que menos gostei deste cruzeiro

  • O Serviço. Continua a ser um problema para a MSC Cruzeiros resolver em determinados navios. Muitas vezes lento e, neste em particular, muito desorganizado, principalmente no restaurante principal. É certo que era o primeiro itinerário do navio, ainda por cima acabado de sair do estaleiro, mas nem isto serve de desculpa para tal desnorte. Melhorou ao longo do cruzeiro e a qualidade dos pratos esteve dentro das expectativas.
  • Pacote de Bebidas Easy. Cada vez menos opções de bebidas dentro do pacote. Cervejas internacionais estão quase todas fora. Incompreensível. A seu favor joga o preço, ainda um dos mais baratos entre as companhias mais populares.
  • E os fotógrafos? Ah… nem vou falar disso, mas podem ver neste artigo o que menos gosto nos cruzeiros.
  • Reserva dos espetáculos. Não é um ponto negativo, mas uma chamada de atenção para estes novos navios quando navegam perto da sua capacidade máxima. Reservem sempre com antecedência os vossos espetáculos no teatro. A tendência é esgotar rápido, portanto, logo de manhã, entrem na aplicação MSC for ME, na televisão do camarote ou nos ecrãs espalhados pelo navio, e façam a reserva do espetáculo principal. Falhamos alguns porque não fomos a tempo, mesmo tentando a entrada na hora do início.

Conclusão

Foi incrível voltar à Noruega!  Só posso estar agradecido a todos os que vieram connosco nesta magnífica viagem organizada pela Famatour, e liderada pelo meu amigo Marco Lima.

Fomos com 50 pessoas de todo o país que confiaram no nosso trabalho e no programa que elaboramos. Visitamos aldeias típicas, experimentamos a cultura nórdica, (quase) vimos o sol da meia-noite e sentimos o ar mais puro dos Fiordes da Noruega!

Foi incrível!

A todos os que nos acompanharam o meu muito obrigado!

1 Comment

Click here to post a comment

  • Gostava de saber se tem algum cruzeiro que saia e chegue a Lisboa e que vá a Normandia
    Faz fiz muitos cruzeiros e ouvi falar que há um que faz este percurso
    Grata
    Obrigada

Share this

Novo Cruzeiro de Grupo: Ilhas Gregas a bordo do Celebrity Infinity!