Cunard Notícias

Queen Elizabeth 2 vai ser um Hotel no Dubai

Depois de mais de 5 anos de espera, eis que o projecto de transformação deste navio da Cunard foi revelado. Este velho navio, que outrora navegou por mares e oceanos, recebendo milhões de turistas, vai agora ter uma nova vida, bastante diferente da sua anterior.

O navio está no Dubai desde 2008, propriedade actual da Istithmar World, subsidiária da Dubai World. Como já era esperado por todos aqueles que acompanham a sua história e as notícias relativas a este navio, o Queen Elizabeth 2 vai ser transformado num Hotel de Luxo, aproveitando todas as cabines e suites (actualmente tem 963 no total), transformando-as em apenas 300 quartos de luxo, com decoração bastante actual, muito espaçosos e com todo o luxo que assim necessita. O restante navio espera-se que seja todo preservado, mantendo a sua história e o seu percurso para os visitantes conhecerem, sendo assim as únicas alterações serão feitas na parte do Hotel, principalmente nos quartos.

Este era um futuro que já estava previsto assim que o navio foi vendido pela Cunard em 2007, por cerca de cem milhões de dólares, porém a crise financeira instalada fez com que os planos fossem adiados e agora finalmente as notícias são confirmadas e os avanços vão começar. A sua actual proprietária, Istithmar World tem como objectivo atracar o hotel flutuante, em Port Tashid, no entanto os planos vão mais além do que simplesmente a adaptação do navio para um Hotel.

O objectivo é incluir um museu marítimo, com referência à histórica náutica do Dubai e a ampliação do terminal de cruzeiros actualmente. São estas as mudanças e melhorias a fazer, de forma a que o QE2 esteja situado no melhor local possível, com atracções locais em sua volta e com todas as condições de acesso necessárias.

Leia também  Serena Melani será a comandante do Explora I, o primeiro navio da marca de luxo da MSC Cruzeiros

O presidente da sua actual proprietária prevê a abertura das portas do hotel flutuante dentro de 18 meses, contudo podem existir pequenos atrasos, principalmente relativamente à renovação do terminal de cruzeiros, que vai receber novas lojas, melhores e mais eficazes acessos e outras melhores imprescindíveis.