MSC Cruzeiros

MSC Cruzeiros celebra Float Out do MSC World Europa e a Cerimónia da Moeda do MSC Euribia (os primeiros GNL da companhia)

MSC World Europa

A Divisão de Cruzeiros do MSC Group e os Chantiers de l’Atlantique celebraram no dia 1 deste mês dois marcos importantes na construção da próxima geração de navios ambientalmente avançadas da companhia. O MSC World Europa e o MSC Euribia tornar-se-ão os primeiros navios movidos a GNL a ingressar na frota da MSC Cruzeiros no próximo ano, representando um investimento de €3 mil milhões em navios de Gás Natural Liquefeito (GNL) com a construção do World Europa II no início de 2023.

Estes navios desempenham um papel importante no compromisso da companhia em alcançar zero emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050. O GNL é de longe o combustível marinho mais limpo disponível atualmente e virtualmente elimina as emissões locais de poluentes atmosféricos, como óxidos de enxofre (99%) e óxidos de nitrogénio (85%) e partículas (98%).

Em termos de emissões com impacto global, o GNL desempenha um papel fundamental na mitigação das alterações climáticas e os motores destes dois navios têm potencial para reduzir as emissões de CO2 até 25% em comparação com os combustíveis convencionais. Para além disso, com a disponibilidade subsequente de formas bio e sintéticas de GNL, esta fonte de energia irá permitir um meio de alcançar eventuais operações descarbonizadas.

Pierfrancesco Vago, Executive Chairman da MSC Cruises, afirmou: “Hoje é outro marco importante na nossa caminhada rumo a emissões líquidas zero nas nossas operações marítimas, até 2050. Após biliões de euros de investimento, anunciamos desenvolvimentos de construção significativos em não apenas um, mas dois de nossos navios movidos a GNL de próxima geração, nos aproximando cada vez mais da nossa visão de uma indústria de cruzeiros livre de emissões. Como o combustível mais limpo disponível atualmente em grande escala para nossas operações, o GNL está na vanguarda da importante transição energética pela qual devemos passar. Há ainda muito a fazer, mas estou satisfeito porque, apesar de tudo, com o que enfrentámos com a pandemia nos últimos dois anos, ainda conseguimos juntamente com os nossos parceiros da Chantiers de L’Atlantique avançar com estes novos navios movidos a GNL – o primeiro a ser construído em França e que também irá introduzir novas tecnologias de células de combustível potenciais para torná-los ainda mais eficientes. Agora precisamos de dar passos ainda maiores e vamos precisar do apoio contínuo dos nossos fornecedores, parceiros e governos para conseguir isso. Todos nós precisamos de trabalhar em conjunto para alcançar um futuro verde.”

Laurent Castaing, General Manager, Chantiers de l’Atlantique, acrescentou: “É, de facto, um momento muito especial, o que vivemos hoje. Isto não acontece apenas porque estes navios são, respectivamente, o 15º e o 16º que estamos a construir para a MSC Cruzeiros – o que mostra a excelente qualidade do relacionamento que estabelecemos entre as nossas duas empresas desde os anos 90. Isto não acontece apenas porque eles estarão entre os maiores e melhores do mercado de cruzeiros do mundo. Mas é também, e principalmente, porque representam um passo gigantesco em direcção ao que serão os navios de cruzeiro do futuro. Na entrega, eles terão o melhor rácio de carbono do mercado, em termos de emissões por passageiro e por dia.”

Leia também  Todas as Fotos e Videos da Cerimónia de Nomeação do MSC Virtuosa no Dubai

Também foi revelado que a MSC Cruzeiros e os Chantiers de l’Atlantique confirmaram a instalação de uma planta piloto de célula de combustível a bordo do MSC World Europa, conhecida como Blue Horizon. A tecnologia usará GNL para converter combustível em eletricidade com uma das mais altas eficiências de qualquer solução de energia disponível hoje, produzindo eletricidade e calor a bordo, a primeira vez que uma célula de combustível movida a GNL foi usada num navio de cruzeiro.

A tecnologia de célula de combustível selecionada pelos Chantiers de l’Atlantique (CdA) e a MSC Cruzeiros é a SOFC (Solid Oxide Fuel Cell) desenvolvida pela Bloom Energy. O SOFC irá reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em cerca de 30% em comparação com um motor LNG convencional, sem emissões de óxidos de nitrogénio, óxidos de enxofre ou partículas finas. Também oferece a vantagem de ser compatível com GNL, assim como diversos combustíveis de baixo carbono, como metanol, amónia e hidrogénio. Este projeto formará o bloco de construção para futuras instalações maiores e o início de uma colaboração ainda mais próxima entre a MSC Cruzeiros e a CdA em P&D de tecnologia de célula de combustível.

A tradicional Cerimónia da Moeda decorreu quando a quilha foi colocada no segundo navio movido a GNL da MSC Cruzeiros, o MSC Euribia, que será um dos navios contemporâneos de melhor desempenho ambiental construídos em França. Anne Claire Juventin Responsável pelo Controlo de Qualidade dos Chantiers de l’Atlantique, e Valentina Mancini, Gerente de Marca da MSC Cruises realizaram o tradicional ritual marítimo como madrinhas representando o armador e o construtor naval quando colocaram duas moedas sob a quilha como o símbolo histórico de bênção e boa sorte para o projeto, e a vida operacional do navio no mar.

A navegação do MSC World Europa, que será o primeiro navio movido a GNL a juntar-se à frota da MSC Cruzeiros, aconteceu no estaleiro em Saint-Nazaire, onde o navio será agora transferido para uma doca húmida para que os trabalhos continuem até à sua entrega em Novembro de 2022.