Guias

Mãe, quero fazer um cruzeiro!

Foto: MSC Cruzeiros

O seu filho já lhe pediu para fazer um cruzeiro mas você receia que não seja a viagem mais apropriada para se fazer acompanhar de crianças? Errado! Não tenha dúvidas de que ele, embora pequeno, sabe bem o que que quer.

Viajar com crianças num cruzeiro é comum, divertido, seguro e até trás bastantes vantagens. Começando pela prioridade no embarque e desembarque para quem leva bebés de colo, prosseguindo pelo facto de não haver limite de bagagem, passando pelas inúmeras ofertas de entretenimento para os mais pequenos e culminando no facto de ser usual que até aos 12 anos as crianças viajem gratuitamente caso partilhem o camarote com os pais (pagando apenas taxas portuárias), e existem cabines espaçosas, confortáveis e bem equipadas com três e quatro camas! Motivos que bastem para fazer a vontade ao seu pequenote?

Um cruzeiro em família é sinónimo de férias de sonho quer para pais quer para filhos, independentemente da idade das crianças. Se leva um bebé a quem pode dar o sono a qualquer hora do dia, por exemplo, pode comodamente dirigir-se à sua cabine e deitá-lo, seja a que horas for. E consegue também respeitar a rotina de alimentação do seu filho, pois servem comida durante 24h e, se solicitar, confecionam a bordo menus especiais para crianças. Inclusive nos restaurantes, preparam a sua mesa de acordo com a idade do seu filho, com cardápio para ele e tudo! Fantástico, não?

Se leva uma criança mais crescida, deixe-a aproveitar tudo o que os espaços infantis do navio têm para lhe oferecer. Ela vai-se sentir livre para explorar uma vida social própria a bordo e fazer novos amigos enquanto você descansa, faz uma excursão em terra ou vai dar um pé de dança na discoteca. E juntos, podem aproveitar os shows para toda a família que acontecem com frequência num cruzeiro, além de outros espaços públicos como as piscinas.

Foto: Royal Caribbean

Informações úteis para quem leva crianças a bordo

  • Idade – As operadoras de cruzeiros impõem uma idade mínima para uma criança viajar num navio. Esse limite varia de empresa para empresa e mesmo dentro de uma mesma empresa, de acordo com a embarcação e o itinerário: umas exigem que o bebé tenha pelo menos 4 meses, outras só aceitam bebés a partir dos 6 meses ou 1 ano.
  • Navio – Quanto maior e mais moderno o navio for, maior é a possibilidade de facilitar a vida a quem viaja com crianças.
  • Bagagem – Mesmo que seja verão, leve agasalhos para o seu filho porque o ar condicionado do navio é forte em algumas zonas e não esqueça uma roupa mais quente para o caso de ser surpreendido por um dia de mau tempo. Mas também não exagere no vestuário que pretende levar porque a cabine é normalmente pequena e não tem espaço para muitas malas. De resto, há várias lojas à bordo caso precise de comprar alguma coisa em falta. Se conta ir até à piscina ou parar em praias, leve todos os acessórios de que vai precisar: chapéus, boias, óculos, protetor solar, brinquedos (o que se esquecer, pode comprar no navio ou no local que vai visitar, embora por um valor mais elevado). Normalmente as toalhas de praia e piscina são emprestadas pelo navio e podem ser levadas nas paragens.
  • Brinquedos – Leve os brinquedos preferidos do seu filho mas não se preocupe em levar muita traquitana para o navio, porque há tanto para fazer a bordo que ele pouco tempo vai estar na cabine.
  • Medicamentos  – Convém munir-se dos remédios que habitualmente usa, como em qualquer outra viagem, e não se preocupe porque há médicos à bordo, enfermaria e – em caso de maior gravidade – até ponto de aterragem para helicóptero.
  • Piscina – Os navios de cruzeiro seguem normas internacionais para o acesso de bebés à piscina e nesse sentido a maioria das empresas proíbe crianças que ainda usam fralda de entrar na água. É só o que tem de ter em conta.
  • Lugar para dormir – Se vai viajar com um bebé confirme antecipadamente se o navio oferece berços. Se oferecer indague sobre se o espaço da cabine com o berço montado fica transitável. E como não há camas com proteção, se vai levar uma criança que dispensa berço mas que pode cair da cama, convém trazer de casa uma grade desmontável.
  • Banho – Não existem banheiras para crianças na cabine. Se tem um bebé, é mais fácil levar uma banheira ou uma pequena piscina insuflável.
  • Babysitters – Alguns navios oferecem serviço de babysitter para que os pais possam jantar tranquilos ou aproveitar alguma atividade noturna enquanto a criança dorme (na cabine ou no berçário). Esses serviços normalmente são pagos à parte, à hora.
    Foto: Royal Caribbean
    Foto: Royal Caribbean
  • Kids Club – Existem sempre clubes de entretenimento para os mais pequenos mas muitas vezes só aceitam a participação de crianças que já não usam fralda. A idade mínima para a participação nestes espaços é seguida à risca: os monitores têm acesso aos registros do navio, com a data de nascimento de cada criança.  Da sala de ciências, passando pelo espaço dedicado às artes, teatro, cinema, sala de brinquedos e acabando na piscina ou pista de escalada, ele há um pouco de tudo, inclusive a hipótese de almoçar e jantar no clube. Assim como os adultos, as crianças recebem toda a programação na cabine de modo a se poderem preparar para o dia seguinte. E se solicitar no Guest Service, o programa ser-lhe-á entregue em português. Os clubes contam ainda com equipas qualificadas (monitores treinados, pedagogos, divertidos) disponíveis 24h por dia, sete dias por semana, focadas na diversão do seu filho através de iniciativas várias, apropriadas a crianças e adolescentes dos 3 aos 17 anos que são, obviamente, distribuídas por grupos de idades, cada um com a sua sala e respetiva programação. E o melhor é que este serviço é gratuito, seguro e abrangente.
  • Língua – A interação com crianças de outras nacionalidades é interessante por um lado mas constrangedora por outro porque o seu filho pode não ficar tranquilo com meninos que não falam português. Porém, há sempre pelo menos um animador que fala (no mínimo) espanhol.
  • Berçário – Área com berços destinada a crianças dos 6 meses aos 3 anos, paga à parte. Além do espaço para dormir, possui uma zona para brincar apetrechada com brinquedos e televisores para visionamento de desenhos animados.
  • Segurança – Os navios modernos costumam ter parapeitos e proteções de vidro com a altura da cintura ou do peito de um adulto (transparentes), portanto as empresas afirmam que o risco de cair do navio é mínimo. Mas, convenhamos, é claro que vai ter de vigiar o seu filho a não ser que seja um bebé de colo que ainda não consegue andar. Informamos ainda que as crianças acima de 3 anos de idade costumam usar uma pulseira durante todo o cruzeiro, com um número equivalente ao seu bote salva-vidas, além de um cordão com um cartão com o nome, número de cabine e número de bote. Muitas vezes com esse cartão (desde que desbloqueado) o seu filho pode pagar gastos extras.
  • Carrinhos de bebé – Num cruzeiro encontra imensa gente num espaço relativamente apertado e por isso nem sempre é fácil circular com um carrinho de bebé pelos corredores mas mais difícil ainda é carregar com o seu filho ao colo o tempo todo. Leve o carrinho e se puder opte por um modelo simples, rápido de abrir e fechar e de pequenas dimensões. Não esqueça que os navios são enormes e é costume andar-se muito de um lado para o outro…
  • Enjoos – Os navios maiores e mais modernos quase não balançam mas mesmo assim, existe a possibilidade de o seu filho enjoar com o movimento da água, principalmente se também enjoa quando viaja de carro e se costuma vomitar sempre que está indisposto. Independentemente de ter tendência ou não para ficar enjoado, antes de embarcar pergunte ao pediatra o que pode dar à criança em caso de vómitos e náuseas. E leve esse medicamento consigo.
Leia também  5 Destinos de Cruzeiros para colocar na sua Lista (para quando voltarmos)

E agora acabaram as desculpas para não fazer um cruzeiro com o seu filho.

Add Comment

Click here to post a comment

Deixar uma resposta

Nuno Ribeiro

Olá, o meu nome é Nuno Ribeiro e sou fundador do Blog dos Cruzeiros, um blog sobre o mundo dos grandes cruzeiros, onde pode encontrar notícias, opiniões, sugestões, guias, companhias, navios e muito mais.

Sempre que subo a bordo de um navio descrevo toda a experiência aqui para que possa ajudar quem pretende fazer um cruzeiro. Boas leituras!