Home Guias Guia Completo: Como usar o Telemóvel durante o seu Cruzeiro (para não se assustar com a conta)
Guia Completo: Como usar o Telemóvel durante o seu Cruzeiro (para não se assustar com a conta)

Guia Completo: Como usar o Telemóvel durante o seu Cruzeiro (para não se assustar com a conta)

1.53K
0

Cerca de 75% das pessoas que viajam, consideram o seu smartphone essencial, mais até do que os produtos de higiene pessoal. Os dados são do relatório de tendências TripBarometer da TripAdvisor e revelam que quase ninguém passa muito tempo seguido sem ver o email, publicar uma foto no Instagram, colocar um like no Facebook, fazer um telefonema e enviar um par de mensagens escritas. Nem mesmo num navio de cruzeiro repleto de atividades atrativas! Por isso a questão já nem é tanto se se pode usar um telemóvel a bordo, mas mais como usar o telemóvel num navio sem receio de receber uma fatura exorbitante.

Está pronto para embarcar, mas leva no coração os amigos e familiares que ficam em terra na expectativa de receberem notícias e fotos suas? Não seja por isso!

Independentemente da companhia de cruzeiro que escolheu, qualquer navio possui uma rede wifi para que se possa ligar à Internet (cobrando por minuto, por largura de banda, por pacotes diários, longos ou personalizados) e qualquer operadora possui planos de roaming para que possa telefonar e enviar mensagens.

Mas os valores que lhe vão apresentar são bastante elevados e a qualidade do serviço inversamente proporcional, porque apesar da velocidade variar de companhia para companhia, as ligações à Internet num navio dependem de fatores como a localização e largura de banda disponível. Por outras palavras, não conte com uma rapidez que suporte serviços de streaming como Netflix ou Spotify, por exemplo.

Mas também não é caso para desistir da sua viagem, sim? Fazer um cruzeiro é uma experiência incrível que merecia, inclusive, que largasse o telemóvel por uns dias, mas não o podendo ou querendo fazer, há alternativas e formas de contornar os valores elevados dessas alternativas…

É uma questão de ler o nosso guia sobre como usar o telemóvel num navio de cruzeiro e, claro, contactar a sua operadora e a companhia de cruzeiro, antes de embarcar, para verificar quais são os planos mais indicados para si.

O Roaming na Europa

Se o navio estiver no porto de escala, o serviço da operadora será fornecido pelo país onde estiver (ao contrário de quando estiver no mar, que será fornecido por satélite), pelo que, se for na União Europeia, poderá usufruir do roaming com custos iguais a Portugal, como se estivesse cá.

Consulte esta página da União Europeia para saber mais sobre o roaming na Europa.

Desde 15 de junho de 2017 que “acabou” o roaming na UE e países com acordos. Além dos 28 países (Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Checa, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polónia, Portugal, Roménia, Eslovénia, Eslováquia, Espanha, Suécia e Reino Unido) entram também, por acordo, a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega.

Quer isto dizer que, se o navio estiver abrangido por redes terrestres destes países, usar o telemóvel é como se estivesse em Portugal, sem custos acrescidos (chamadas e dados). Caso contrário, se estiver num terceiro país, deverá consultar as tarifas de roaming correspondentes.

O que é o Cellular at Sea

Assim que um navio de cruzeiro sai do porto, o seu telemóvel fica sem acesso à rede terrestre, o que significa taxas extras.

É verdade que os navios mais modernos usam serviços como o “Cellular at Sea” ou “Wireless Maritime Services” para que os passageiros tenham sinal, mas estes planos são considerados planos de roaming via satélite e ser-lhe-á cobrado um valor de acordo com o uso, acima do normal.

Os passageiros podem fazer e receber chamadas a partir dos seus próprios telemóveis num navio, sim, desde que este disponibilize um serviço para tal e desde que a operadora do passageiro autorize o roaming.

Quando sair do navio para visitar um dos destinos do seu itinerário, pode fazer chamadas e também pode enviar SMS e aceder aos dados móveis através da operadora de serviços do respetivo país (pois assim que chega a um porto, o sinal do telemóvel muda para uma operadora do país ou ilha em causa) e até pode ficar mais barato do que fazer chamadas em alto mar.

Mas antes de marcar um número, verifique o seu contrato com a sua operadora em Portugal para saber exatamente quanto pode custar. Entenda os detalhes do seu plano de roaming (dados de roaming, voz e mensagens de texto), perceba qual, ou quais, os países no seu itinerário de cruzeiro em que pode desativar o modo de voo e, estando fora do modo de voo, certifique-se de que está dentro das limitações do seu plano de roaming, para não ter surpresas desagradáveis.

Vamos colocar aqui vários cenários com casos práticos:

Cenário 1: Navio está atracado/ancorado num Porto de Escala

Neste caso está abrangido pela rede móvel terrestre do país onde se encontra. O que importa ver aqui é se o país pertence (ou não) à União Europeia (ou tem acordos, como nos países listados anteriormente).

Se está na União Europeia é mais fácil, o tarifário será exactamente o mesmo, como estivesse em Portugal. Pode fazer/receber chamadas, navegar na Internet com os dados móveis, aplicações, redes sociais, etc… sendo que o custo será o mesmo que teria cá, em Portugal. Confirme com a sua operadora se o seu plano inclui dados móveis, e qual o plafond.

No caso de o país não pertencer à UE (ou não tenha acordos), terá que ver com a sua operadora os custos de roaming. As tarifas de roaming variam de acordo com a operadora e o plano de preços que estabeleceu (o valor aparecerá na sua fatura normal).

Para informações sobre valores exatos, deverá entrar em contato com a sua operadora, mas podemos adiantar desde já que deve contar com preços iguais ou idênticos a nível das operadoras nacionais – MEO, NOS e Vodafone.

Custo Roaming por Satélite (Cellular at Sea)

Custos do Tarifário em roaming com acesso por satélite (navios, aviões e muitos outros países).
Consulte sempre os tarifários de roaming com a sua operadora.
OperadoraChamadas EfetuadasSMS EnviadoDados Móveis  
NOS€5,242/min€0,64/SMS€6,014/MB
MEO€5,820/min€1,45/SMS€1,780/100KB
VODAFONE€5,470/min€0,55/SMS€0,668/100KB

Volto a lembrar, antes de embarcar no seu cruzeiro, consulte a sua operadora sobre os tarifários nos países onde vai estar, e verifique se não existem pacotes promocionais para o roaming. Consulte os custos com roaming da NOS, MEO e Vodafone.

Se ficar no navio, pode sempre usar o WiFi que este proporciona aos seus passageiros (falaremos mais à frente).

MSC Divina

Cenário 2: O navio está em Alto Mar

Nesta situação podem ocorrer também 2 cenários. Como os navios, muitas vezes, e principalmente na Europa, navegam junto à costa, é provável que consiga apanhar sinal de uma operadora terrestre, evitando desta forma os custos do roaming por satélite (o tal Cellular at Sea).

Se assim for, o seu telemóvel obtém sinal das redes dos países onde se encontra, e se estes pertencerem à UE, continuará com o seu tarifário “caseiro”. Poderá usufruir do seu telemóvel como se estivesse em Portugal.

Se for outro país, fora do âmbito na UE, já sabe que os custos serão de roaming. Neste caso sugiro ir verificando a rede do seu dispositivo para não cair na zona do “Cellular at Sea”, como disse anteriormente, o roaming mais caro que existe. Se não quiser ter surpresas na conta aconselho a colocar o seu telemóvel em “Modo Voo”, (neste caso será navio, o que é a mesma coisa).

O que acontece é que o seu aparelho não se vai ligar a nenhuma rede e ficará incontactável. Mesmo assim, se quiser usufruir do WiFi do navio, basta ligar o WiFi no seu telemóvel, e poderá aceder à Internet, mesmo a rede estando completamente desligada.

O uso de aplicações é possível, sem ter sequer ligação WiFi, e não pagará mais por qualquer aplicativo que não exija dados ou não esteja ligado à Internet. Aplicações de jogos e música, por exemplo, que já tenham sido instalados no seu smartphone, podem ser usados ​​enquanto o telefone estiver no “Modo Voo”, sem acumular custos.

Há, no entanto, aplicações que vão deixar de funcionar no “Modo Voo”. É o caso do Facebook, Messenger, WhatsApp, Skype ou Instagram, que necessitam de uma ligação à Internet, e como tal, acumulam rapidamente taxas de dados elevadas. Tenha isso em conta.

Seabourn Ovation

Cenário 3: Usar apenas o WiFi do navio

Outra opção é usufruir dos diversos planos de internet que a companhia de cruzeiros disponibiliza. No entanto, são poucas as companhias que oferecem acesso gratuito. Estes pacotes, embora não sejam baratos, podem ser mais em conta que usar o plano de roaming da sua operadora.

Neste cenário coloque o seu telemóvel em “Modo Voo” e depois ligue o WiFi para se ligar à rede interna do navio. É provável que tenha que se identificar, ou com o apelido, número do camarote ou outro dado. Vai ter Internet e todas as aplicações de comunicação disponíveis, sendo que muitas delas permitem fazer chamadas de voz e video para contactar com os seus familiares. Aplicações como o Messenger ou o WhatsApp permitem fazer estas chamadas, além de envio de fotografias, videos, ficheiros, etc.

As companhias de cruzeiro têm investido em Internet de alta velocidade e largura de banda capaz de suportar Skype, WhatsApp e outras plataformas de chat por vídeo.

Regra geral, um pacote de acesso ao WiFi do navio, apesar de caro, fica mais em conta do que pagar o roaming, mas há exceções. Se prevê usar muito o seu telemóvel enquanto navega, pode ser mais barato usar o roaming do que comprar um passe de WiFi a bordo. É uma questão de pesquisar e comparar os custos de roaming com o custo dos pacotes de Internet para encontrar a melhor opção.

E não se esqueça de que a sua operadora tem pacotes de dados em roaming que, dependendo do local para onde vai viajar e de quantos dados precisa, pode oferecer acesso à Internet como parte de um pacote de roaming limitado, o que significa que pode usar a quantidade “X” de dados por dia e conseguir um plano mais barato do que um pacote WiFi a bordo.

Custos do WiFi a bordo

Se sabe que vai precisar, ou não vai resistir a utilizar a Internet no navio, deve adquirir um pacote WiFi a bordo, de preferência antes do cruzeiro, pois poderá usufruir de descontos substanciais. Depois, deve desativar o uso de dados e o roaming do seu telefone para que este se ligue apenas ao WiFi do navio.

Quanto a valores, estes variam consoante o número de equipamentos de onde se pretende ligar, o tempo que pretende ficar ligado e também onde se pretende ligar, ou seja, há planos para todos os gostos: ao minuto, ao dia, por viagem, só para acesso a redes sociais e por ai fora!

Os preços variam também de acordo com a companhia de cruzeiro, mas incluem sempre vários tipos de possibilidades com base nos hábitos e necessidades de acesso à Internet dos passageiros.

De ressalvar que algumas companhias de cruzeiro disponibilizam planos de Social Media, ou seja, planos de acesso ilimitado a redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram ou Snapchat por uma taxa fixa por dia ou por viagem, mas o acesso à Internet e email não está incluído neste tipo de plano.

Preços de Wifi

Preços indicativos de algumas companhias de cruzeiro. Deverá sempre consultar os tarifários em vigor e descontos pré-cruzeiro. Outros pacotes poderão estar disponíveis a bordo.
CompanhiaPacotePreçoInclui
Royal CaribbeanVOOM Surf$15,99/diaInternet, Email
Royal CaribbeanVOOM Surf + Stream$19,99/diaInternet, Email, Redes Sociais, Streaming
MSC CruzeirosStandard$99.90/cruzeiro 7 noites3 Gb e 2 dispositivos
MSC CruzeirosPremium$159,90/cruzeiro 7 noites6 Gb e 4 dispositivos
MSC CruzeirosChat & Social $49.90/cruzeiro 7 noites1,5Gb e 1 dispositivo. Apenas Redes Sociais.
NorwegianUnlimited$25.50/diaInternet, Email, Redes Sociais
NorwegianUnlimited Premium$29.50/diaInternet, Email, Redes Sociais, Streaming
NorwegianUnlimited Social Media$12.50/diaRedes Sociais
Costa Cruzeiros250Mb25€Inclui 250Mb
Costa Cruzeiros500Mb39€Inclui 500Mb
Costa Cruzeiros3Gb99€Inclui 3Gb

Fiabilidade do WiFi dos navios

O valor dos pacotes de acesso à Internet cobrado pelas companhias de cruzeiros devia garantir-lhe, no mínimo, uma ligação confiável e rápida, mas nem sempre isso acontece.

Para darem acesso à Internet aos passageiros, as companhias de cruzeiro contam com satélites que podem oferecer uma ligação fraca ou intermitente, dependendo de onde o navio de cruzeiro se encontra, ou seja, não tenha esperança de transmitir filmes de alta definição enquanto estiver no meio do Oceano Pacífico, por exemplo.

E mesmo que a ligação não seja má, muitas companhias de cruzeiro impedem os passageiros de utilizar alguns serviços de streaming de vídeo e chamadas de vídeo intensivas, para garantir que todos recebem uma parcela igual de largura de banda.

Felizmente que a tecnologia tem avançado muito ultimamente e as ligações à Internet no mar melhoram a cada dia que passa. Veja-se o caso da Royal Caribbean que através de parcerias com prestadores de serviço WiFi disponibiliza agora uma largura de banda superior a qualquer outra companhia de cruzeiros através do VOOM, um serviço exclusivo de Internet mais rápida em alto-mar, que possibilita aos passageiros estarem sempre ligados ao mundo e entreterem-se com os seus filmes, músicas, programas de TV preferidos, publicarem as suas fotos de férias no Instagram e Facebook, fazerem video-chamadas através do Skype ou Facetime, etc.

Telefone fixo no navio

Todos os navios possuem telefones (via satélite) que pode usar para fazer as suas chamadas, incluindo telefones fixos nas cabines. O preço por chamada é alto – entre 8€ a 16.50€ por minuto – mas provavelmente será um pouco mais barato do que usar o seu telemóvel.

Conclusão e Dicas Finais

O uso de dados a bordo é ridiculamente caro, por isso, se quiser evitar uma conta telefónica de tirar o fôlego, siga estas dicas:

  • Desligue o seu telemóvel assim que o navio sair e terá a garantia de evitar custos inesperados.
  • Em alternativa, se planeia usar o seu telefone para tirar fotografias ou configurar um alarme, por exemplo, ative o modo de voo assim que entrar no navio, o que impede que o telefone capte um sinal. O modo de voo ou modo de avião é uma função originalmente pensada para pessoas que viajavam de avião quando o uso do telefone era proibido. Hoje serve para evitar que o telemóvel use uma ligação e o seu objetivo é desligar a função que capta o sinal da rede de telemóvel, ativando o chamado modo de voo que permite, no entanto, que se ligue por WiFi e bluetooth, se assim o desejar.
  • Em simultâneo, verifique o seu telefone, pois pode ser necessário ajustar manualmente as configurações de roaming para voz, mensagens de texto e dados, de modo a evitar cobranças surpresa. Embora saiba que não deve fazer chamadas telefónicas ou enviar mensagens de texto enquanto estiver em roaming, também sabe que a maioria dos telefones modernos usa dados sem que o perceba. Isso acontece porque os smartphones executam frequentemente uma variedade de funções de manutenção, mesmo quando o telefone não está em uso ativo, e para verificarem atualizações de aplicativos, podem-se ligar a dados locais e tentar determinar a sua localização. Num navio de cruzeiro esta função pode levar ao uso não intencional de dados.
  • Verifique também as suas preferências de dados e os aplicativos que são sincronizados em segundo plano e que podem consumir o seu saldo de dados furtivamente. Mude as configurações de sincronização e de segundo plano para WiFi ou desative-as completamente para evitar despesas extra.
  • Outra opção, como já mencionámos, é adquirir um passe WiFi a bordo do navio que permitirá que desligue o roaming de dados ao mesmo tempo que aproveita as vantagens de estar ligado a uma rede confiável. Mas atenção que essa rede só servirá a bordo do navio e não nos destinos onde este possa atracar.
  • Em terra a solução é aproveitar para aceder a uma rede WiFi, de preferência gratuita, em lojas, bares, cafés ou restaurantes. Os estabelecimentos com uma rede protegida por senha provavelmente serão mais seguros e menos congestionados do que aqueles que têm redes abertas e gratuitas.
  • Como alternativa, pode usar a Internet apenas enquanto estiver em terra – nos portos que vai visitar – em pontos de acesso WiFi gratuitos ou com custos (mas bem mais baixos que nos navios): em restaurantes, cafés e bares e até mesmo em espaços públicos, como praças e parques. No entanto, essas redes abertas não garantem qualquer tipo de segurança, por isso tenha cuidado!
  • E quando regressar ao navio, pode ter de repetir o login no WiFi, pelo que deve abrir o navegador do seu telemóvel para concluir o processo de login e certificar-se de que fez logoff da rede WiFi quando não a estiver a usar ativamente para evitar a perda da largura de banda ou de minutos.
  • Importa ressalvar que a ligação à Internet num navio pode ter resultados diferentes, dependendo da hora do dia, de quantas pessoas estão ligadas, de quão perto o navio está de um porto ou até mesmo da zona onde você está no navio. Se conseguir, aproveite para aceder à Internet durante as horas de maior inatividade ou nos dias em que o navio atraca e a rede fica menos ocupada. Assim terá uma ligação mais rápida.

Como vê, não precisa de deixar o telemóvel em casa. Na posse de informação qb da parte da sua operadora e da companhia de cruzeiros que escolheu, pode telefonar, enviar e receber mensagens, aceder à Internet, ver emails, atualizar o seu estado nas redes sociais… e muito mais!

Bom Cruzeiro!

 

(1533)

Booking.com
Nuno Ribeiro Nuno Ribeiro é fundador e editor do Blog dos Cruzeiros, um blog sobre o mundo dos grandes cruzeiros, onde poderá encontrar notícias, opiniões, experiências, sugestões, guias, companhias, navios e muito mais.