Home Guias Excursões em Cruzeiros: Reservar pela Companhia ou Ir por Conta Própria?
Excursões em Cruzeiros: Reservar pela Companhia ou Ir por Conta Própria?

Excursões em Cruzeiros: Reservar pela Companhia ou Ir por Conta Própria?

9.38K
0

Olha para a direita e vê um guia turístico à frente de uma série de autocarros a chamar um grupo de 200 passageiros que pagou um valor considerável para continuar a gozar das mordomias e da segurança a bordo na cidade que vai visitar. Olha para a esquerda e vê pequenos grupos de passageiros constituídos, na sua maioria, pelo próprio grupo de viagem (família e amigos) a dirigir-se aos apelos entusiastas de guias locais que conduzem tuk-tuks, táxis, carrinhas, alugam automóveis, etc.

A questão agora é… para que lado é que se vai virar?

 

Se está a planear fazer um cruzeiro mas não decidiu se deve aproveitar as excursões da companhia ou passear por conta própria sempre que atracar, este artigo vai ajudá-lo.

Existem hoje mais de 500 diferentes portos de escala em todo o mundo, e quando o navio chega a maioria dos passageiros quer sair e conhecer o local de destino.

Então, quais são as melhores maneiras de aproveitar ao máximo essa breve visita?

Como uma vez atracado, o navio tem apenas cerca de 6 a 9 horas para aproveitar como quiser a escala, com barcos de apoio levando e trazendo os turistas todo o dia, a maioria dos cruzeiros oferece passeios extras, excursões com preços mais caros (taxas adicionais) do que se fizer por conta mas com a vantagem de não se ter de preocupar com a organização.

Ora, parte dos viajantes abre os cordões à bolsa e opta pelas excursões da companhia. Outra parte resolve conhecer o local de destino por sua conta e risco, com maior liberdade de escolha e poupando algum dinheiro.

A parte a que pertence vai variar muito em função de fatores pessoais e circunstanciais e a resposta não vai surgir com facilidade, avisamos já. Há uma série de “dependes” a integrar a equação que têm a ver com condicionantes do porto de escala e com a propensão dos passageiros para passeios independentes.

Importante agora, no início deste artigo, é que esteja ansioso para conhecer novos sítios, outras pessoas, diferentes costumes. É que as atividades em terra são uma parte da experiência de cruzeiro tão interessante quanto as comodidades a bordo do navio. E há tantos mas tantos lugares a explorar: ilhas tropicais, metrópoles movimentadas, países exóticos…

Excursões planeadas pela Companhia

Harmony of the Seas

Em primeiro lugar saiba que os navios permitem a reserva dos seus passeios turísticos a bordo (ou online antes de partir) e oferecem sempre uma gama de escolha muito satisfatória, pois normalmente há mais de que uma opção a nível de excursões para cada porto (os passeios estão classificados por categorias) e há descritivos e informações acerca da duração e preços (bem como sugestões para restaurantes, praias e atrações imperdíveis). Independentemente da sua idade, interesses e condição física, num navio encontrará sempre a excursão adequada. Isso é um facto.

No entanto, apesar das companhias de cruzeiro se estarem a modernizar e a tentar personalizar as excursões, estes passeios são sempre feitos a pensar em grupos com interesses semelhantes, sim, mas não a pensar em indivíduos em particular. É verdade que pode fazer a excursão dos seus sonhos pelo navio, por exemplo com passeio de helicóptero incluído ou mergulho envolvido ou com uma visita à Grande Muralha da China à noite mas os valores que estão em causa podem intimidar alguns passageiros.

Outros, independentemente do preço a pagar, não prescindem desta comodidade, afinal comprar uma excursão em terra patrocinada pela companhia é o caminho mais fácil, mais cómodo e com menos riscos: é só entrar no autocarro e ser conduzido a locais de interesse enquanto ouve as explicações de um guia na sua língua (ou aproximada) com a certeza e tranquilidade de quem não tem de olhar sistematicamente para o relógio, pois o navio não vai partir sem a excursão estar de regresso.

Tipos de excursões organizadas pelas companhias de cruzeiros

As excursões turísticas e visitas guiadas organizadas pelos navios abrangem diferentes níveis de atividade (e valores) e variam consoante o que está disponível em cada destino: vão desde aqueles passeios típicos de autocarro que levam os passageiros aos principais pontos turísticos e áreas comerciais da cidade portuária aos passeios a pé, desportos náuticos, caminhadas, ciclismo, trenós puxados por cães, visitas a spas, praias, provas de vinho ou degustação de comida, aulas de culinária, visitas a museus, ruínas, mercados, etc.

As excursões podem ocupar-lhe apenas umas horas ou todo o dia e nem todas implicam que entre num autocarro cheio de turistas prontos a obedecer a um guia. Alguns passeios conduzem-no simplesmente a um destino onde está livre para explorar até que chegue a hora de apanhar o autocarro rumo ao navio. Muitas linhas oferecem ainda pacotes de carro e condutor para que possa personalizar o seu próprio tour ou permitem-lhe recorrer à ajuda de concierges para organizar atividades em terra exclusivamente para o seu grupo de viagem.

Quando deve fazer a excursão do navio

Navio a chegar a Ponta Delgada, Açores | Foto: José Borges
  • Quando gosta de jogar pelo seguro

Os extra que vai pagar pelas excursões do navio podem funcionar como uma espécie de seguro. Ao optar por estes passeios organizados sabe que vai na companhia de operadores turísticos credíveis e responsáveis, atentos a todos os seus desejos e necessidades.

Além disso, como sabe o maior inconveniente em visitar um local desconhecido por sua conta é precisamente o risco de surgir algum contratempo. Um acidente, um engarrafamento, uma avaria, um mal-entendido podem atrasá-lo e (na pior das hipótese) levá-lo a perder o navio.

  • Quando quer ter a certeza que não fica em terra

Ao participar de uma excursão organizada pelo navio fica com a certeza de que mesmo que se atrase o navio não vai sair sem si, e sem os outros turistas. E, como sabe, visitar um porto de escala de um navio é muito diferente do que passar uma semana num resort, particularmente porque há horários a cumprir.

  • Quando não sabe como chegar às principais atrações turísticas

Muitas vezes os portos onde atracam os navios ficam localizados fora das principais áreas turísticas e a excursão do navio pode ser a melhor (senão a única) forma de descobrir como chegar às principais atrações. Isto aplica-se em especial na Europa, onde alguns dos destinos mais importantes como Paris, Roma, Florença, Berlim e Londres estão a milhas de distância ou a hora e meia a três horas de distância a partir de onde o navio atracou.

  • Quando aprecia o conforto

O conforto dos passeios organizados pelos navios é indiscutível, especialmente em lugares difíceis ou excêntricos onde sozinho poderia sentir-se mais constrangido e limitado.

  • Quando não conhece o local

Se não conhece o local que vai visitar e não fez pesquisa alguma sobre os pontos de interesse do mesmo, a excursão do navio é a opção certeira. As excursões oferecidas e organizadas pelos navios contemplam as melhores opções do que se tem para ver nesse destino. Para viajantes não muito experientes são mesmo as mais recomendadas e em destinos difíceis de conhecer sem ajuda de guia são mesmo aconselháveis até a turistas experientes.

  • Quando não tem a moeda local

Se não tem a moeda local para pagar um táxi, por exemplo, prefira fazer a excursão do navio e pagar a bordo na moeda que bem entender.

  • Quando não se quer incomodar a programar visitas e passeios fora do navio

Um dos principais benefícios da reserva de excursões patrocinadas pelo navio é evitar a perca de tempo (e aborrecimento) de organizar as suas próprias atividades em terra.

  • Quando os fatores políticos são adversos

Talvez seja preferível optar pela excursão do navio quando o local que pretende visitar vive alguma instabilidade política que pode ameaçar a sua segurança e dificultar o transporte.

Viajar por alguns países da África, Ásia e antigos países da antiga União Soviética e da América do Sul pode não ser seguro ou pode requerer muita programação antecipada, o que não é particularmente fácil em viagens de cruzeiro.

  • Quando sofre de algum problema de saúde ou mobilidade

Se tem algum problema de saúde ou dificuldade física, recomendamos as excursões do navio, pois há sempre opções para todo o tipo de passageiros.

  • Quando quer ser dos primeiros a desembarcar

Quem faz excursões pelo navio tem preferência para desembarcar. E essa é uma grande vantagem: menos tempo para sair do navio e mais tempo para visitar o ponto turístico!

  • Quando se trata de uma excursão de alto risco

Quando a excursão que deseja fazer envolve alguns riscos, prefira faze-la pelo navio e não por sua conta. Um passeio que implique uma viajem de helicóptero, avião e até barco, exige alguma proteção extra que a linha de cruzeiro lhe pode assegurar.

  • Quando a língua é uma barreira

Se a língua e/ou os costumes numa terra estrangeira podem ser uma barreira, opte pela excursão do navio onde lhe darão as explicações necessárias numa língua que entende e onde lhe darão dicas para não ofender costumes (cobrir o corpo, usar uma saia comprida, regatear, etc).

Cuidados a ter com as excursões do navio

  • Leia as descrições do passeio

Deve ler com antecedência e muito cuidado as descrições das excursões em terra para perceber exatamente como vai ocupar o seu tempo: no autocarro, entre as várias atrações, no museu, no parque, nas lojas de lembranças…

As excursões do navio não são propriamente personalizadas e por isso deve perceber se é preferível para si uma excursão particular que lhe permita, por exemplo, passar todo o tempo em terra num só ponto turístico em que está especialmente interessado em vez de aceitar os curtos períodos de tempo numa grande variedade de lugares.

A leitura da descrição do passeio serve também para perceber se é indicado para si ou se, pelo contrário, deve procurar uma opção mais a seu gosto. Repare que algumas excursões envolvem caminhadas extenuantes em climas húmidos e quentes, por exemplo, e a sua condição física pode não o permitir.

A boa notícia é que as linhas de cruzeiro apontam com muita precisão quais são as excursões mais exigentes, seja a nível físico ou psicológico e também aconselham passeios menos exigentes a passageiros com mobilidade reduzida e é por isso que deve ler e reler as descrições para depois não se arrepender.

  • Não se separe do grupo

Apesar de ser aborrecido ter de andar em grupos numerosos de turistas também é importante que saia em passeio consciente de que devem estar sempre juntos. Não pense que pode afastar-se ou sair se não gostar do local que estão a visitar e, pior, se algum passageiro se atrasar… vai ter de ficar (em grupo) à sua espera.

Excursões por conta própria

Santorini, Grécia

Numa viagem de cruzeiro a possibilidade de arranjar e planear o seu próprio tour não pode ser posta de lado, até porque em praticamente todos os portos será abordado por guias ansiosos por lhe mostrar os melhores pontos turísticos, de táxi, a pé, de tuk-tuk, carro particular, etc. Independentemente do meio de locomoção, o mais importante aqui é esclarecer o guia sobre a hora em que deverá estar de volta ao porto.

A grande vantagem em prescindir das excursões do navio é que vai conseguir poupar dinheiro a fazer precisamente o mesmo que os outros passageiros que optaram pela excursão do navio… mas por outro meio.

Existem alternativas para excursões da companhia de cruzeiro e, verdade seja dita, a esmagadora maioria é credível e segura. Tratam-se de profissionais do turismo que sabem onde o levar e como o trazer de volta a horas.

Quando deve fazer a excursão por conta própria

  • Quando quer poupar dinheiro

Muitas vezes consegue economizar algum dinheiro eliminando o intermediário linha de cruzeiro ou personalizando a excursão de acordo com os seus interesses. Basta prescindir de delegar a organização do passeio à copmanhia de cruzeiro para falar diretamente com o provedor turístico que verá como o tour (muitas vezes semelhante ao que outros passageiros vão fazer pelo navio) fica mais em conta.

  • Quando as atrações ficam bem perto do porto

Se as atrações turísticas ficam perto do local onde o navio atracou, não tem porque hesitar em passear por sua conta e risco. Na verdade, muitos portos na Europa, por exemplo, são ideais para explorar de forma independente porque as atrações estão perto do navio e os moradores locais são utilizados pelos turistas como guias.

Por exemplo em St. Thomas, as lojas estão a poucos passos do navio, embora as praias estejam distantes; em Barcelona pode facilmente usar uma combinação de autocarros locais, metro e transportes turísticos para se deslocar.

  • Quando já conhece ou pesquisou os locais a visitar

Se já tem ou pretende arranjar um guia da cidade, se fez ou pretende fazer pesquisas na Internet e/ou se já conhece o local, pelo menos o básico a nível da cultura, da sociedade e arquitetura, pode aventurar-se numa excursão por conta própria.

Se já decidiu que quer reservar de forma independente, descubra o que deseja ver no porto (e já agora compare com o que a companhia de cruzeiro oferece) e aproveite a alegria de organizar o seu próprio passeio, personalizando-o: a combinação de dois museus com uma paragem naquele restaurante aconselhado por locais onde nunca teria acesso se fossa na excursão do navio, por exemplo.

Se sentir dificuldades na pesquisa, leia guias e visite sites de viagens, contacte o departamento de turismo para o seu destino, procure por agências, arranje mapas e outros materiais impressos (se possível com as atividades de detalhe, restaurantes, promotores de turismo, etc).

  • Quando não se identifica com as excursões planeadas pelo navio

Se o seu problema é não se identificar com as excursões planeadas pelo navio, a solução passa por criar os seus próprios tours, com cautela e antecedência. Não encontrando a bordo do navio o passeio dos seus sonhos, encontrá-lo-á fora dele.

  • Quando não pode fazer a excursão do navio

As excursões do navio, se adaptadas a pessoas com problemas de mobilidade (e outros) são perfeitas mas também pode acontecer precisamente o contrário e aí, se por exemplo não consegue (ou não quer) fazer uma caminhada por terreno irregular ou uma subida íngreme, ou seja lá o que for que esteja planeado, deve tentar fazer um passeio por sua conta. E para isso faça sua própria análise pesquisando por informações e fotos na Internet.

  • Quando há transporte regular do porto ao centro da cidade

Se há um transporte público regular (além de táxis) do local onde atracou até ao centro da cidade que pretende visitar, não necessita de recorrer às excursões do navio. Basta verificar os horários dos autocarros, metro, comboio (ou seja que transporte for) de modo a prevenir atrasos e arranjar um mapa da cidade para melhor se orientar.

  • Quando quer passear apenas com os seus familiares ou amigos

Se prefere evitar as grandes excursões em grupo e explorar os locais apenas com os familiares ou amigos que o acompanham na viagem e ao seu ritmo, não tem outra alternativa senão planear passeios por sua conta.

  • Quando tem um espírito mais aventureiro

As excursões planeadas pelo navio podem ser ótimas para quem quer experimentar algo de novo ou mais arriscado (particularmente se for longe do cais) mas os passageiros mais audazes sentem por vezes necessidade de encontrar os passeios mais adequados às suas expetativas mediante oferta (muito) específica em terra.

  • Quando gosta de fazer planos com antecedência

O sucesso do seu passeio em terra também depende da sua capacidade de o planear com antecedência. Se souber previamente o que pretende visitar e a forma como pretende fazer o passeio consegue equilibrar as excursões em terra de forma mais relaxante, cultural ou ativa, de acordo com as suas motivações.

  • Quando não quer ficar preso a um programa

As excursões do navio obrigam-no a ficar preso a um programa pré-estabelecido que normalmente deixa pouco espaço para momentos livres em que se pode ocupar como muito bem desejar e que, pelo contrário, contemplam quase sempre visitas a lojas onde os turistas podem comprar as suas lembranças. Se gosta de elaborar os seus próprios programas, se prefere tirar umas boas fotos em vez de comprar bugigangas, as excursões do navio não são as mais adequadas.

  • Quando é capaz de respeitar o calendário/horário

Se é uma pessoa responsável e capaz de respeitar horários, está habilitada a fazer o passeio por sua conta e risco. Se pelo contrário, tem tendência para pedir exceções à regra o melhor é fazer a excursão do navio porque de outro modo pode ficar em terra mais tempo do que era expectável e perder o resto do cruzeiro.

Dicas para excursões por conta própria

  • Organize-se

É importante que se organize a nível de excursões que quer realizar em terra antes mesmo de embarcar no cruzeiro. Elabore o seu próprio roteiro, assinale os locais que gostava de visitar, verifique se as atrações turísticas vendem os bilhetes online para não perder tempo em filas e trace o itinerário através do Google maps a partir do porto até ao centro da cidade ou local que pretende visitar.

  • Escolha o meio de transporte mais adequado

Sabia que, dependendo no número de pessoas do seu grupo de viagem, recorrer a um táxi para passear pode ficar mais em conta do que fazer a excursão do navio? No entanto, ao contratar um táxi deve, desde logo, negociar uma taxa fixa antes de partir para não ter surpresas. E se necessitar de algumas explicações, escolha um motorista que fale a sua língua ou uma língua que compreenda.

Além do táxi também pode alugar um carro e conduzir você mesmo desde que não estejamos a falar de cidades grandes e muito movimentadas, como Atenas, onde o trânsito é caótico. Se optar pelo aluguer de um automóvel é melhor que o reserve antes da partida, as taxas são mais baixas e além disso não tem de perder tempo à procura de um serviço nem de correr o risco de não encontrar um carro disponível. Verifique ainda, junto da agência de aluguer, se vai precisar de alguma permissão internacional para conduzir ou se a sua carta de condução é suficiente.

Tanto numa hipótese como noutra, táxi ou aluguer de carro, se viajar sozinho ou com apenas mais uma pessoa pode tentar fazer amizade com outros passageiros durante o cruzeiro e verificar se algum ou alguns estão interessados em partilhar passeios consigo.

Todos irão poupar dinheiro, pois ficará mais em conta do que a excursão do navio, seja ela qual for, mas, atenção, terão de negociar valores, conduzir por estradas com sinais de transito em línguas estrangeiras e até mesmo à esquerda.

  • Tenha sempre um mapa do local com a indicação do sítio onde atracou o navio

Como vai fazer o seu passeio fora da linha de conforto da excursão do navio, é importante que para se prevenir de imprevistos leve consigo um mapa com a sinalização/indicação do sítio onde o navio atracou para que, em caso de necessidade, possa pedir ajuda para regressar. Se entrar num táxi e entregar ao motorista, que até pode falar apenas a sua língua natal, o mapa com a localização do navio, não há como errar.

  • Reserve através de um especialista

Opte por reservar o seu passeio a uma empresa especializada em pequenos grupos e excursões privadas. Os seus passeio serão semelhantes aos que o navio oferece, sim (a não ser que peça uma tour personalizada) mas também serão consideravelmente mais baratos, até porque quanto maior o grupo, mais em conta será o preço.

As seguintes companhias são especializadas em excursões para cruzeiros:

Consulte os preços e compare os itinerários. Para isso selecione a data a companhia de cruzeiro, navio e data de partida, para visualizar as excursões em cada um dos portos de escala.

  • Tenha consigo a moeda local

Mesmo que tenha pago a excursão previamente e mesmo que leve consigo o cartão de crédito, convém ter algum dinheiro na moeda local seja para pagar o almoço, seja para pagar a entrada num museu… seja fazer face a algum imprevisto.

  • Memorize a hora de partida do seu navio

Mais uma vez recordamos que o navio até pode esperar pelos passageiros que foram na excursão da companhia mas não vão esperar por passageiros que reservam independentemente. Por isso, memorize a hora de partida, verifique se o seu relógio está certo e planeie a sua excursão em sincronia com a hora a que tem de regressar, tendo em conta que se deve apresentar com alguma antecedência (pelo menos meia hora antes).

Lembre-se que se se atrasar e perder o navio, só poderá voltar a embarcar no porto seguinte e até lá as despesas são por sua conta.

E então? Arrisca-se numa excursão por sua conta e risco ou vai aderir aos passeios propostos pela companhia de cruzeiro?

(9376)

Booking.com
tags:
Nuno Ribeiro Nuno Ribeiro é fundador e editor do Blog dos Cruzeiros, um blog sobre o mundo dos grandes cruzeiros, onde poderá encontrar notícias, opiniões, experiências, sugestões, guias, companhias, navios e muito mais.