Notícias

Estudo da CLIA revela: 2 em cada 3 cruzeiristas querem voltar já em 2021

Um estudo da CLIA (Associação Internacional de Companhias de Cruzeiro), a maior organização do setor dos cruzeiros, mostra também que 58% dos turistas internacionais que nunca fizeram um cruzeiro, estão dispostos a experimentar nos próximos anos.

O relatório “State of the Cruise Industry Outlook de 2021” destaca ainda o impacto económico global da indústria, as previsões de tendências e o compromisso da indústria com práticas de turismo responsável e de liderança.

Para a indústria dos cruzeiros, não há como negar que 2020 não foi o ano que prevíamos. Ainda assim, a indústria não perdeu tempo a ajustar o rumo para enfrentar os desafios que temos pela frente“, disse Kelly Craighead, presidente e CEO da CLIA. “Este relatório destaca as etapas extraordinárias que o setor adotou para desenvolver e implementar protocolos de saúde pública aprimorados para manter as pessoas em primeiro lugar, enquanto continua a concentrar-se em inovação e práticas de turismo responsável que tornam os cruzeiros a melhor maneira de experimentar o mundo. ”

O relatório do estado da indústria dos cruzeiros inclui a Análise do Impacto Económico Global de 2019, destacando o enorme crescimento da indústria dos cruzeiros e as contribuições correspondentes para a economia internacional antes da emergência de saúde global. Em 2019, os cruzeiros foram responsáveis por 1.166.000 empregos correspondendo a $50 mil milhões em salários. A análise também constatou:

  • Gastos de passageiros em cidades portuárias – os passageiros gastaram em média $385 em cidades portuárias antes de embarcar num cruzeiro e $100 em cada escala durante o cruzeiro.
  • Total de Passageiros – a maioria dos cruzeiristas são da América do Norte – A indústria dos cruzeiros recebeu um total de 29,7 milhões de passageiros em todo o mundo em 2019. A América do Norte é responsável pela maior taxa, com 15,4 milhões de passageiros.
  • Impacto da Covid-19 no emprego – Em 2020, cada 1% de perda de cruzeiristas resultou numa redução de 9.100 empregos relacionados com o setor. Cada dia de suspensão, causou perdas diretas e indiretas na indústria de 2.500 empregos.
Leia também  Estes Agentes de Viagem já estiveram no MSC Grandiosa: Veja o video das suas experiências

O relatório destaca o investimento de $23 mil milhões da indústria em navios com novas tecnologias e combustíveis mais limpos para reduzir as emissões de carbono, parcerias com governos locais em destinos-chave e um compromisso de reduzir as taxas de emissões de carbono em 40% até 2030 em comparação com 2008. O relatório enaltece ainda o progresso da indústria de cruzeiros na adoção de novas tecnologias ambientais:

  • Gás natural liquefeito (GNL)49% das novas encomendas serão baseadas em combustível GNL como propulsão primária.
  • Sistemas de limpeza de gases de escape (ECGS) – Mais de 69% da capacidade global atualmente utiliza EGCS, enquanto 96% das novas construções que não são de GNL terão EGCS.
  • Sistemas Avançados de Tratamento de Águas Residuais99% dos novos navios encomendados terão estes sistemas em funcionamento, elevando a capacidade global para 78,5%.
  • Energia Shore to Ship58% da nova capacidade de construção será compatível com a SSE, ligação às redes de energia locais, com 32% da capacidade da frota global já capaz e 25% da capacidade existente será adaptada para usar SSE.

2020 foi um ano diferente de qualquer outro e estou orgulhoso de como a nossa indústria se uniu para enfrentar esta pandemia incomparável“, disse Adam Goldstein, presidente cessante da CLIA. “Quando olhamos para 2021, sei que os cruzeiristas estão ansiosos para navegar mais uma vez, assim como a indústria está ansiosa para colocar as pessoas de volta ao trabalho e criar experiências inesquecíveis para os nossos valiosos hóspedes.”

 

Add Comment

Click here to post a comment

Leave a Reply