Entrevistas Royal Caribbean

Entrevista com Francisco Teixeira, Director-Geral da Melair: "Em 2013 teremos 17 navios a operar na Europa"

No seguimento da nossa série de entrevistas a personalidades ligadas aos cruzeiros a nível nacional, desta vez entrevistamos Francisco Teixeira, Director-Geral da Melair, empresa representante em Portugal das companhias Royal Caribbean International, Celebrity Cruises e Azamara Club Cruises.

Recordamos que a primeira entrevista foi feita a Eduardo Cabrita, da MSC Cruzeiros, que pode ser lida aqui.

BC (Blog dos Cruzeiros): Quais os navios da Royal Caribbean (RCC) a operar no mercado Europeu?

FT (Francisco Teixeira): No total do grupo Royal Caribbean, para as três marcas representadas pela Melair, serão 17 os navios a operar na Europa em 2013. Por companhia, a Royal Caribbean International operará com 9 navios, a Celebrity Cruises com 6, dos quais 4 pertencem à nova classe Solstice e a Azamara Club Cruises com 2 navios.

Francisco Teixeira, MelairBC: A “DreamWorks Experience” e a “Barbie Premium Experience” são duas experiências exclusivas dos navios da RCC. Poderia apresentar as principais características destas experiências, aos nossos leitores?

FT: A Experiência Barbie Premium é mais uma opção do programa para jovens e crianças Adventure Ocean da Royal Caribbean. As meninas dos 4 aos 11 anos podem desfrutar de camarotes inspirados na Barbie assim como atividades temáticas exclusivas durante o cruzeiro. A partir de um convite podem participar em festas de chá, aulas de dança, aulas de design de moda e um desfile de moda.  A “DreamWorks Experience” disponível em seis navios da frota Royal Caribbean International, que operam nas Caraíbas, na Europa e na Ásia é programa já consolidado. A sua principal característica, tem a ver com os diversos momentos em que os passageiros convivem com as suas diversas personagens, seja durante os desfiles pela Royal Promenade, em atividades no Adventure Ocean, durante os pequenos-almoços ou mesmo no deck da piscina.

BC: Quais as principais nacionalidades dos turistas de cruzeiros que navegam com a RCC?

FT: Todas estas três companhias operam ao nível global, com os seus mercados emissores divididos por quatro áreas mundiais:
– Estados Unidos da América com 55%
– EMEA (Europa, Médio Oriente e África) com 27%
– LACAR (América Latina e Caraíbas) com 10%
– APAC (Ásia/Pacifico) com 10%

BC: Encontra-se a operar, em algum destino Europeu, navios da RCC onde os passageiros possam experienciar o “FlowRider”?

FT: Sim, a Royal Caribbean International dispõe de dois navios na Europa onde os passageiros podem experienciar esta opção. São elas no navio Liberty of the Seas com partidas de Barcelona, e no Independence of the Seas com partidas de Southampton.

BC: Que factores diferenciados, como a Royal Promenade, os turistas de cruzeiros podem encontrar nos navios da frota da RCC?

FT: Para além da Royal Promenade disponível nos navios das classes Voyager, Freedom e Oásis, os navios da Royal Caribbean International dispõem ainda de simuladores de surf, paredes de escalada, campos de basquetebol, campos de mini-golfe, ringue de patinagem em gelo, zip lines e pistas de patins em linha. Isto na vertente activa/desportiva, existem muitos outros factores diferenciadores.

BC: Na sua opinião que características especiais os turistas de cruzeiros podem encontrar num navio de menor dimensão, como os navios da Classe Sovereign e Vision, da RCC?

FT: Nos dias de hoje, os chamados pequenos navios, têm uma capacidade para 2.000 passageiros. Nestes, o turista encontra mais intimidade nos espaços e no relacionamento com outros passageiros.

BC: Com base nos passageiros da RCC considera que a média de idades dos turistas de cruzeiros se encontra a diminuir?

Leia também  Royal Caribbean e a Norwegian Cruise Line criam Painel de Navegação Saudável

FT: Nos dias de hoje, esta é uma falsa questão. Como em qualquer destino ou produto, a média de idades altera de acordo com o período de férias da população activa e escolar. Hoje, o mesmo se passa nos cruzeiros da RCC.

BC: Especula-se muito sobre o terceiro navio da classe Oasis, que aliás já foi confirmado, pode-nos adiantar em que se distingue dos seus dois irmãos mais velhos?

FT: Acredito que sejam introduzidas algumas pequenas novidades, mas neste momento não são ainda conhecidas. Teremos também de considerar a possibilidade de construção de um quarto navio da classe Oásis para 2018, que se encontra em fase de opção.

BC: A classe Oasis é talvez a mais popular do mundo e por isso é com especial expectativa que se espera um destes navios a navegar pelo Mediterrâneo. Com um terceiro navio desta classe há alguma probabilidade de algum passar uma temporada no Mediterrâneo?

FT: É uma resposta que com toda a certeza não dependerá apenas de uma decisão da RCC. Acredito que, um navio desta dimensão, para além de exigir condições portuárias e de acesso rápido e fluído ao destino, precisará de condições de compra adequadas à sua dimensão nos seus mercados emissores.

BC: Está também previsto já para o próximo ano o primeiro navio da nova classe Sunshine. Quais são as principais inovações desta classe?

FT: Esta classe de navios já com nomes, o Quantum of the Seas e o Anthem of the Seas, prometem a continuação na inovação a que a Royal Caribbean International nos habituou. Esta semana, iniciou-se a construção do seu primeiro navio, e iremos a partir de agora conhecer cada detalhe destes navios.

BC: A RCC detém os dois maiores navios de cruzeiros do mundo, o “Allure of the Seas” e o “Oasis of the Seas”. Para além da sua dimensão que factores destaca nestes navios, considerados por muitos como verdadeiros destinos turísticos em si mesmos?

FT: O que mais destaco nestes navios, fruto também da sua dimensão, é a sua característica de bairros. Esta permite aos seus passageiros, uma experiência com variadas opções numa só viagem, com a sensação de estarmos, ao mesmo tempo, num resort e numa qualquer cidade moderna.

BC: Qual o maior navio da RCC a operar na Europa?

FT: Os dois navios da Classe Freedom. O Liberty of the Seas e o Independence of the Seas.

BC: Que turnarounds, de navios da RCC, se encontram previstos nos Portos Portugueses, para 2013?

FT: Para além do turnaround do Azamara Quest, teremos em Outubro, o Vision of the Seas com partida de Lisboa para Miami, e contamos ter uma boa aceitação no mercado português.

BC: Que conselho pode dar aos futuros passageiros que irão realizar um cruzeiro com a RCC brevemente?

FT: Boa disposição, e vontade de usufruir de todas as opções que os nossos navios colocam à disposição dos seus passageiros.

BC: Qual a missão e principais objetivos da RCC?

FT: Proporcionar aos seus passageiros a melhor opção de férias, mantendo e elevando o seu reconhecido padrão de serviço.

Add Comment

Click here to post a comment

Deixar uma resposta

Nuno Ribeiro

Olá, o meu nome é Nuno Ribeiro e sou fundador do Blog dos Cruzeiros, um blog sobre o mundo dos grandes cruzeiros, onde pode encontrar notícias, opiniões, sugestões, guias, companhias, navios e muito mais.

Sempre que subo a bordo de um navio descrevo toda a experiência aqui para que possa ajudar quem pretende fazer um cruzeiro. Boas leituras!