Entrevistas MSC Cruzeiros

Entrevista a Eduardo Cabrita, diretor-geral da MSC Cruzeiros: “Os portugueses terão uma grande surpresa nos cruzeiros com embarque e desembarque em Lisboa”

Eduardo Cabrita, diretor-geral da MSC Cruzeiros

Na sequência das entrevistas que temos vindo a efetuar aos líderes do turismo de cruzeiros, hoje publicamos a conversa com Eduardo Cabrita, director-geral da MSC Cruzeiros, companhia líder em Portugal.

Ainda sem data para o regresso dos cruzeiros a nível mundial a entrevista centra-se na pandemia que assola o mundo, e o turismo em particular, e a forma com a MSC Cruzeiros espera restabelecer a confiança dos passageiros.

As boas notícias é que a temporada de 2021 parece estar acima das previsões e isso deve-se à confiança que os passageiros têm no setor.

1) Como é que está a ser gerido o impacto juntos dos clientes e nas suas reservas? Os clientes têm consciência da situação e preferem adiar para data posterior ou, pelo contrário, têm cancelado e preferem outro tipo de produto?

Prolongámos a suspensão de todas as operações da nossa frota até ao dia 31 de Julho e estamos neste momento a fazer o nosso melhor para ajudar os nossos clientes e parceiros agentes de viagens a compensar e a reagendar os cruzeiros conforme apropriado e mediante uma política de vouchers e flexibilização adaptada e criada de modo a garantir a maior confiança e flexibilidade possível. Temos consciência que este é um momento difícil para o sector e para os nossos parceiros agentes de viagens e queremos ultrapassá-lo juntos, pelo que temos feito várias acções para os manter informados de todos as nossas novas políticas existentes, para que possam ajudar os clientes da melhor maneira possível.

No que respeita às compensações, estamos a ir mais além do que o normal da lei existente e a atribuir um crédito a bordo no futuro cruzeiro remarcado para o hóspede, bem como uma comissão extra de 5% para o agente de viagens nessa remarcação do cruzeiro, proporcionando-lhes assim a oportunidade de transferir o valor total pago pelo cruzeiro cancelado para um cruzeiro futuro à sua escolha – em qualquer navio, com qualquer itinerário – até ao final de 2021. Os hóspedes terão a possibilidade de resgatar o voucher junto do seu agente de viagens e de reagendar o seu cruzeiro para quando lhes for possível. Além disso, receberão um crédito a bordo adicional entre €100 e €400 por camarote, dependendo da duração do cruzeiro original. O objectivo é que o cliente se sinta seguro e que sinta que é possível o seu sonho de férias tornar-se realidade, mas que o faça no momento que considerar o melhor e mais apropriado.

Para além disso, todos os hóspedes que têm actualmente reservas com a MSC Cruzeiros entre 1 de Agosto e 31 de Outubro de 2020, as suas reservas serão agora também incluídas na no Programa Cruzeiros Flexíveis da MSC Cruzeiros, que permite aos viajantes que já reservaram um cruzeiro através de uma agência de viagens, remarcarem o seu cruzeiro sem custos até 48 horas antes da partida para passageiros em tarifa “só cruzeiro” e até 120 horas antes da partida para passageiros em tarifa “cruzeiro+voo”, para uma futura data de partida até 31 de Dezembro de 2021.

2) Podemos esperar que esses clientes possam ser recuperados sendo principalmente os estreantes os mais vulneráveis ou difíceis de recuperar?

Naturalmente, veremos os cruzeiristas mais fiéis a regressar à medida que vão entendendo o modo como a indústria se adapta e reage às novas situações e estarão neste momento já ansiosos para voltar novamente a bordo. Toda esta adaptação e evolução transmitirá confiança a todos os portugueses que sonham em realizar férias de sonho connosco, seja pela primeira vez ou para conhecer um novo destino e um novo navio.

A indústria de cruzeiros tornou-se já seguramente como uma das principais opções de férias e estou confiante de que as pessoas voltarão a fazer férias em cruzeiros, e que continuará a ser uma óptima opção para viajar. Este é um sector resiliente e os acontecimentos adversos que temos vindo a assistir mostraram a capacidade da recuperação do sector. Quando terminar esta crise, será necessário uma adaptação a um novo normal e teremos a possibilidade de ver o sector a evoluir e a inovar.

Naturalmente, levará algum tempo para a indústria se reconstruir, mas continuaremos a oferecer aos nosso hóspedes uma experiência única e enriquecedora. Sem dúvida que, juntamente com o resto do mundo, sairemos desta crise mais fortes pelos desafios que enfrentámos, e estamos ansiosos por voltar a receber novamente os nossos hóspedes a bordo dos nossos navios num futuro próximo.

3) Há indícios que apontam para um aumento do número de reservas para 2021. Estará relacionado com certeza com esta crise, os clientes preferem “saltar” 2020 e reservar já para o próximo ano?

Leia também  MSC Cruzeiros anuncia Painel de especialistas Covid Blue Ribbon para garantir que o seu protocolo cumpre as orientações estabelecidas

Na verdade temos estado a verificar tendências bastante positivas para o Verão 2021 e o crescimento de 25% de reservas relativamente ao ano passado é um sinal bastante encorajador.

Actualmente, existe uma incerteza compreensível em torno das restrições de viagens, o que tornar mais difícil para os hóspedes decidirem quando será o momento certo para fazerem a sua reserva. No entanto este números demonstram que o sector dos cruzeiros voltará ainda mais forte, não só pela quantidade das reservas mas porque as pessoas mostram de todas as formas que querem voltar a navegar.

Eduardo Cabrita: “As tendências são bastante positivas para o Verão 2021″

4) Várias foram as medidas tomadas pelas companhias para prevenir a entrada de passageiros com sintomas da doença. É de esperar que essas medidas possam ser prolongadas indefinidamente, ou pelo menos, até a COVID-19 estar controlada através de uma vacina?

A MSC Cruzeiros é uma companhia que sempre teve como prioridade número um a segurança dos seus passageiros e tripulação, pelo que sempre fomos além dos padrões exigidos pelas autoridades e organizações em todos os tipos de procedimentos.

Durante esta crise trabalhámos da melhor maneira possível para proteger a saúde e segurança dos nossos passageiros e tripulantes, como resposta a esta dinâmica e desafiante situação, e neste momento estamos já a trabalhar em conjunto com as autoridades dos diferentes países em que navegamos, de modo a fortalecer os já existentes elevados padrões de higiene, saúde e segurança.

Continuaremos a seguir todas as directrizes dos governos, bem como das autoridades nacionais e internacionais de saúde para além das medidas que precisamos de tomar enquanto sector. Para além disso, vamos anunciar em breve um novo protocolo operacional especialmente focado em higiene, saúde e segurança, e que abrange a experiência de cruzeiro do hóspede desde a reserva até o desembarque. Acreditamos que comunicar e disponibilizar estas medidas aos nossos parceiros agentes de viagens, bem como aos nossos actuais e futuros viajantes, será um dos grandes pilares para transmitir confiança aos nossos hóspedes.

5) A higienização a bordo é, como sabemos, um dos fatores mais importantes no controlo de doenças contagiosas a bordo. Deveremos esperar medidas de prevenção mais radicais, como a diminuição da capacidade de passageiros dos navios ou a proibição de entrada de doentes com determinadas patologias?

A experiência de cruzeiro transformar-se-á após esta crise, bem como o restante sector de viagens e do turismo. Com a certeza de que continuaremos a oferecer aos nosso hóspedes uma experiência única e enriquecedora. Terá de haver um aumento e aperfeiçoamento dos protocolos de higiene, saúde e segurança, incluindo algumas das medidas que já fomos introduzindo durante a evolução da crise, como exames ainda mais rigorosos e um fortalecimento da higienização de todos os nossos navios.

Provavelmente haverá mudanças nos processos de embarque e desembarque, bem como mudanças relativamente à gestão da nossa restauração a bordo ou na forma como vamos disponibilizar a nossa oferta de entretenimento.

Também é possível que possamos ter de navegar com uma capacidade reduzida, mas essas e muitas outras matérias estão ainda a ser desenvolvidas para garantir que, quando chegar a hora certa, estaremos prontos para receber novamente os viajantes a bordo e da maneira mais segura possível.

6) Os portugueses, em 2021, terão a oportunidade de embarcar no maior navio da companhia, o MSC Virtuosa, a estrear ainda este ano. Tendo em conta os constrangimentos dos estaleiros de Saint-Nazaire, devido à paragem laboral, e à própria estagnação do mercado, é de esperar um adiamento do seu lançamento? Para que datas? E os embarques em Lisboa, estão assegurados e em bom ritmo?

A aposta no mercado português está confirmada com tem sido habitual todos os anos. A MSC Cruzeiros reconfirmou recentemente a sua programação para o Verão 2021 onde estão incluídos os cruzeiros com embarque e desembarque em Lisboa.

Naturalmente que nas circunstâncias actuais é muito provável que haja atrasos na entrega de navios devido à interrupção temporária dos trabalhos em todos os estaleiros, como em quase todos os sectores a nível mundial, no entanto, caso não seja o MSC Virtuosa a realizar esta operação com certeza os portugueses terão uma grande surpresa positiva nos cruzeiros com embarque e desembarque em Lisboa.

 

Add Comment

Click here to post a comment

Deixar uma resposta

Nuno Ribeiro

Olá, o meu nome é Nuno Ribeiro e sou fundador do Blog dos Cruzeiros, um blog sobre o mundo dos grandes cruzeiros, onde pode encontrar notícias, opiniões, sugestões, guias, companhias, navios e muito mais.

Sempre que subo a bordo de um navio descrevo toda a experiência aqui para que possa ajudar quem pretende fazer um cruzeiro. Boas leituras!