fbpx
Artigos

Cruzeiros: 10 Destinos de Exceção – Golfo do Alasca (Parte 6)

O Alasca é a fronteira final de América, uma terra de montanhas, de florestas, de glaciares, de vida selvagem e apenas remota e dura o suficiente para que permaneça mítico, mesmo que as suas cidades de “fronteira” tenham agora Starbucks. A maioria dos cruzeiros permanece na Passagem Interna do sudeste do Alasca, navegando de ida e volta a partir de Seattle ou Vancouver ou indo para o norte ou sul entre Vancouver e Seward ou Whittier (principais cidades portuárias de Anchorage). As opções entre o Norte e o Sul dá-lhe a oportunidade de ver as áreas naturais ao longo do Golfo do Alasca ou participar duma excursão em terra no interior do Alasca.

Na Passagem Interna (Inside Passage) os navios dividem os seus dias entre as maravilhas naturais e as cidades portuárias. O Parque Nacional Glacier Bay (Glacier Bay National Park) é um ecossistema com 105 quilómetros de vida selvagens, baleias e vegetação que não existia há 200 anos atrás, quando toda a área ficou coberta por um enorme campo de gelo. Hoje, esse gelo tem diminuído, com o degelo produzido por 11 marés de glaciares.

Alasca

Mais ao sul, os enormes fiordes Tracy Arm e Endicott Arm ao longo da Faixa Costeira, com as suas enormes escarpas cortadas por quedas de água. Dos Glaciares Sawyer e Dawes caem constantemente pedaços de gelo, enchendo as águas com gelo quebradiço e icebergs. No ponto mais setentrional do sudeste do Alasca, Hubbard Glacier é o maior glaciar da América do Norte, com uma face de gelo de dez quilómetros. O College Fjord, em Prince William Sound (fora do Golfo do Alasca), contém mais de uma dúzia de glaciares.

Em Ketchikan, o Totem Heritage Center e o Totem Bight State Historical Park apresentam grandes colecções de Totens feitos pelos povos nativos do Alasca. A mais conceituada excursão sobre a Natureza é a Misty Fjords National Monument, cujas falésias vulcânicas de 1000 metros de altitude e florestas densas dá um cenário parecido com “O Senhor dos Anéis”. Os grandes atractivos para Juneau, a capital do estado, são as excursões para perto do glaciar de Mendenhall e viagens de helicóptero que pousam no gelo e permitem efectuar caminhadas no glaciar.

As vias estreitas White Pass e Yukon Route Railway, em Skagway, oferecem passeios íngremes na fronteira entre os Estados Unidos da América e o Canadá. Passeios a pé, de bicicleta ou de jangada também o podem levar através da floresta.

A melhor época para fazer um cruzeiro: A melhor estação para cruzeiros no Alasca vai de meados de Maio até meados de Setembro, com a alta temporada durante Junho, Julho e Agosto. O mês de Maio é o melhor para navegar. Setembro é mais silencioso, mas existe maior possibilidade de chover.

Companhias de Cruzeiro: As companhias Princess Cruises, Celebrity e Royal Caribbean são óptimas escolhas se quiser marcar uma excursão em terra para o Denali National Park. O mesmo se aplica para a Holland America, que oferece passeios de terra no território canadiano de Yukon. Optando por um cruzeiros num navio mais pequeno permitirá que veja um Alasca mais real, mais natural. As melhores escolhas em navios de menor porte incluem a Lindblad Expeditions, a American Safari Cruises e a InnerSea Discoveries, que operam com embarcações de 100 ou menos pessoas de capacidade.

About the author

Nuno Ribeiro

Olá, o meu nome é Nuno Ribeiro e sou fundador do Blog dos Cruzeiros, um blog sobre o mundo dos grandes cruzeiros, onde pode encontrar notícias, opiniões, sugestões, guias, companhias, navios e muito mais. Sempre que subo a bordo de um navio descrevo toda a experiência aqui para que possa ajudar quem pretende fazer um cruzeiro. Boas leituras!

Share this

Novo Cruzeiro de Grupo: Caraíbas a bordo do luxuoso Celebrity Beyond!