fbpx
Experiências MSC Cruzeiros

Como é bom voltar às Caraíbas! Reportagem a bordo do MSC Seascape desde Miami

Ocean Cay
Um pouco tarde a reportagem, mas cá fica, cheia de dicas sobre os destinos que visitamos: Miami Beach, Ocho Rios, George Town, Cozumel, Ocean Cay e, por fim, Miami! Vem comigo? @todos

Como é bom voltar a Miami e às Caraíbas!

Então para mim que gosta de praia (boa, claro), águas quentinhas, noites tropicais e uma bebida sempre à mão

Mais uma vez, partimos para Miami com dois dias de antecedência para o cruzeiro, que este ano seria feito no MSC Seascape.

No ano passado fizemos o mesmo itinerário, com saída de Miami, e escalas em Ocho Rios, na Jamaica, George Town, nas Ilhas Caimão, Cozumel, no México, e a maravilhosa Ocean Cay, nas Bahamas, a ilha que a MSC Cruzeiros recuperou e a transformou num pequeno paraíso.

A reportagem do ano passado pode ser lida aqui. Por este motivo, a deste ano vai ser mais curta, já que fizemos praticamente as mesmas coisas, com uma ligeira alteração nas praias (para melhor).

Miami Beach, Estados Unidos

Miami Beach

Mas antes, Miami…. ou melhor Miami Beach, onde ficamos alojados no Holiday Inn Miami Beach, em plena Collins Avenue. Devo confessar que me desiludiu um pouco, comparativamente como o RIU Plaza Miami Beach, um hotel de categoria superior.

Situado alguns quarteirões mais a norte, pertinho do icónico e luxuoso Fontainebleau Miami, este hotel é mais antigo que o RIU Plazza e com menos comodidades. Até a piscina estava em manutenção durante a nossa estadia! Uma pena…

Mas em Miami Beach a procura é muita e a disponibilidade é sempre pouca. A localização é, no entanto, magnífica, numa das principais avenidas e com a praia de Miami Beach à distância de um pequeno portão. Está, também, bem servido ao nível dos transportes públicos.

E nesses dias foi isso que fizemos… bem pertinho do hotel tem a paragem para o Collins Express, autocarros turísticos gratuitos que percorrem grande parte de Miami Beach. Foi aí que apanhamos um até à Ocean Drive, que começa bem perto de onde saem os navios do porto de Miami.

Percorremos a excêntrica avenida (e isto é dizer pouco) repleta de bares, restaurantes, hotéis, e sumptuosas moradias, uma delas onde fatidicamente foi alvejado Gianni Versace, o icónico designer de moda italiano.

Miami

Paralelamente à Ocean Drive existe uma enorme calçada, junto à praia, que se estende por quilómetros e onde se pode praticar desporto, principalmente corrida e bicicleta, mas também um ótimo lugar para longas caminhadas bem perto da maior praia da cidade.

O regresso ao hotel foi feito, de novo, no Collins Express. À noite a saída foi de Uber até à Española Way, uma avenida pedonal perpendicular à Washington Avenue, a poucos quilómetros do nosso hotel. É nesta zona que se encontra o popular estúdio de tatuagens Miami Ink, mundialmente famoso graças à série que passou num canal temático.

Di Mauro’s

A Española Way está repleta de restaurantes para todos os gostos e é muito movimentada à noite, portanto chegue cedo! Nós optamos por um restaurante italiano, o Di Mauro’s, onde se comeu razoavelmente bem e onde, também, se pagou bem. Uma refeição para 4 pessoas não fica por menos de 200€, sem vinhos. Mas lá está…. é Miami Beach, um refúgio não especialmente barato.

Ocean Cay, Bahamas

Ocean Cay

Ao contrário do itinerário do ano passado, este previa uma escala em Ocean Cay, a pequena mas maravilhosa ilha da MSC Cruzeiros nas Bahamas, logo no primeiro dia, mas com saída antecipada, por volta das 16h00. O que foi uma pena, pois não conseguimos assistir ao espetáculo de luzes e som que a ilha nos brinda ao final da tarde.

De qualquer forma é sempre uma escala fantástica, principalmente para quem gosta de praia e de mar. E aqui há muitas, sendo a do Farol, a nossa preferida. O almoço é servido em estilo buffet num restaurante preparado para os passageiros na ilha e está incluído, tal como as bebidas, se tiver adquirido o respetivo pacote. Quem quiser pode ir almoçar o navio, que se encontra sempre à disposição.

Ocho Rios, Jamaica

Ocho Rios

É outra das boas escalas deste itinerário. Ocho Rios, na Jamaica, oferece-nos a possibilidade de desfrutar da natureza exuberante deste país, e um dos principais destinos é às Cascatas do Rio Dunn, a poucos quilómetros do terminal de cruzeiros.

Mais uma vez, optamos por negociar no exterior do terminal com os muitos operadores que nos oferecem múltiplos serviços entre transportes e excursões. Negociamos um pequeno autocarro por $20 por pessoa, já que eramos bastantes passageiros (26) a querer fazer um tour entre natureza, praia e compras.

Com o transporte garantido para todos subimos ao Oceans on the Ridge, um restaurante panorâmico no meio da floresta jamaicana. Os serviços incluem gastronomia jamaicana, vistas fantásticas para Ocho Rios, e em particular, para o porto de cruzeiros, onde se encontrava o nosso MSC Seascape. Um excelente local para umas belas fotos.

A etapa seguinte levar-nos-ia até uma das melhores praias de Ocho Rios, a Bamboo Beach, de acesso condicionado ao pagamento de $15, com direito a espreguiçadeiras.

Como sabem, muitas das melhores praias da Jamaica são privadas, ou concessionadas a privados, que depois vendem o seu acesso. Normalmente são praias boas, com bons serviços associados, como balneários, restaurantes e até lojas, o que nem sempre acontece nas praias de acesso público. É prática comum em muitos países das Caraíbas.

Existe outra praia à saída do terminal de Ocho Rios, do lado direito, mais pequena mas muito interessante, com insufláveis, escorregas para os miúdos, piscina, restaurante e um complexo de lojas com souvenirs. Também é possível ir para a praia do lado esquerdo, mas dizem que é mais poluída por causa dos rios que lá desaguam.

Leia também  MSC Opera: Todos os Preços e Itinerários com partida e chegada ao Funchal

Antes de regressarmos ao navio fizemos uma paragem no Shopping Taj Mahal, um centro repleto de pequenas lojas de recordações, mesmo em frente ao terminal de cruzeiros,  para umas comprinhas de “recuerdos”.

George Town, Ilhas Caimão

Seven Mile Beach, Ilhas Caimão

A terceira escala deste itinerário foi em George Town, capital das Ilhas Caimão, e como de costume, alugamos dois pequenos autocarros para 25 pessoas, $20 a cada um, para nos levar por um pequeno tour pela ilha.

Começamos para umas fotos no “inferno”, Hell, uma pequena localidade perto do porto, com umas rochas rasteiras por entre a vegetação, um pouco sinistra, daí o nome de Inferno. Também daqui, do inferno, é possível enviar uma carta para certos “amigos” a dizer que estamos à espera deles.

Seguimos para o Dolphin Discovery, um santuário de golfinhos que fazem acrobacias e onde é possível nadar e interagir com os animais dentro de uma grande piscina.

Por fim fomos para a famosa Seven Mile Beach, para os mergulhos nas águas quentes da Grand Cayman e uns banhos de sol. Tudo bem perto do terminal de cruzeiros.

Tanto aqui, em George Town, como em Ocho Rios ou em Cozumel, há sempre muitas opções de lojas com todo o tipo de artigos para venda. É nestas lojas que se podem comprar inúmeras recordações destes locais, bem como almoçar ou lanchar nos diversos restaurantes e cafés. Existem também diversos operadores turísticos com excursões nas imediações dos portos, o que nos permite sempre poupar algum quando compararmos com os preços das excursões a bordo. São opções válidas a considerar.

Cozumel, México

Cozumel, México

Nesta última escala do nosso cruzeiro decidimos repetir a mesma praia do ano passado, o Palancar Beach Club, a cerca de 20 minutos dos terminais de cruzeiro. Mais uma vez optamos por negociar um transporte e dividimos o grupo por duas carrinhas, conseguindo um preço de $60 por carro, ida e volta.

O Palancar já era nosso conhecido e sabíamos que tem um ótimo ambiente e boas instalações, com restaurante, uma ou outra loja de souvenirs e as habituais espreguiçadeiras com guarda-sol. A entrada exige um consumo mínimo de $10 por pessoa e, como acabamos por almoçar no restaurante, com tacos e nachos para todos, a entrada em si acabou por ser gratuita.

Nesta costa de Cozumel existem outros clubes de praia e que são igualmente boas opções como o Charlie’s ou o Chula.

No regresso ainda fomos às compras no grande centro comercial em frente ao terminal de cruzeiros de Punta Langosta, onde ficou o nosso MSC Seascape. Recordo que Cozumel tem mais dois grandes terminais de cruzeiros, juntamente com o Terminal International, onde normalmente atracam os navios do grupo Royal Caribbean, e ainda, mais a sul, o Puerto Maya, reservado para as companhias do grupo Carnival.

Como podem constatar, a afluência de turistas de cruzeiros que visitam Cozumel pode ser significativa. Como tal, a sua experiência no destino pode depender do número de navios atracados, pelo que deverá planear bem o seu tempo num dos principais destinos de cruzeiros em toda as Caraíbas.

Um último conselho: ao final do dia, quando regressar ao navio, dê uma boa margem temporal para imprevistos, especialmente aqueles relacionados com o trânsito. Em dias com 4 ou 5 navios atracados nos vários terminais, a pequena estrada até San Miguel, a principal cidade de Cozumel, pode ficar altamente congestionada.

Miami, Estados Unidos

Miami

Último dia do nosso cruzeiro e dia de desembarque no Terminal de Cruzeiros de Miami, mas ainda muito para ver antes do nosso voo no final do dia. O desembarque foi célere e rápido, mas temos a lamentar uma mala perdida de um dos nossos passageiros. É incrível como ainda acontece apenas no transporte do camarote até ao terminal. ☹️

Um conselho aqui: se conseguir transportar as suas malas para o exterior do navio, faça-o. Não precisa de colocar a mala à porta do camarote na noite anterior, não precisa de perder tempo valioso na última noite a fazer as malas e, sobretudo, assegura-se que a sua mala vem sempre consigo e não a vai perder.

De volta ao nosso autocarro e à nossa tour por Miami. Saímos do Terminal de Cruzeiros e fomos para downtown, o centro da cidade, para uma paragem no Bayside Marketplace, um centro comercial em frente à Marina de Miami e um ótimo sítio para compras, com lojas, cafés e restaurantes, entre eles o Hard Rock Café de Miami.

A paragem seguinte foi num dos bairros mais típicos da cidade de Miami, Little Havana, formado por dissidentes cubanos que fugiram do regime de Fidel Castro. A principal avenida, Calle Ocho, é o coração do bairro, repleto de lojas de charutos e restaurantes cubanos, tudo envolvido uma atmosfera nostálgica e um aroma de café.

O nosso voo de regresso era ao final da tarde, e no caminho para aeroporto, fizemos uma paragem para umas compras no Dolphin Mall, um grande centro comercial sempre com preços atrativos nas principais marcas.

A todos os que nos acompanharam o meu muito obrigado!

Share this

Novo Cruzeiro de Grupo: Ilhas Gregas a bordo do Celebrity Infinity!